15 deputados de SP podem ter diplomas cassados

A Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo ajuizou nesta terça-feira 17 representações no Tribunal Regional Eleitoral pedindo a cassação dos diplomas de 15 deputados eleitos. Na maior parte dos casos, a Procuradoria pede investigação sobre problemas de arrecadação ou gastos ilícitos de recursos para fins eleitorais, e há também dois acusados de compra de votos. A Procuradoria representou contra o ex-ministro Educação, Paulo Renato (PSDB), e contra o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva (PDT), o Paulinho, para apurar a ocorrência de arrecadação ou gastos ilícitos de recursos. Já a deputada Vanessa Damo, filha do prefeito de Mauá Leonel Damo, foi acusada de prática de abuso de poder político e de autoridade e uso indevido de meios de comunicação. Também estão na lista os deputados Alex Mantente, Aline Lemos, Celso Antônio Giglio, Fernando Barrancos Chucre, Haifa Madi, Jorge Maluly, José Camarinha, Vinícius Camarinha, José Antônio Bruno, Renato Fauvel Amary, Sérgio Olimpio e Silvio França Torres. Além desses, a Procuradoria também entrou com representação contra o deputado não eleito Laerte Ezequiel dos Santos. Os deputados foram diplomados nesta terça. Segundo a Procuradoria, a legislação eleitoral estabelece um prazo de até três dias após a diplomação dos eleitos para apresentar representações em casos de captação irregular de recursos.

Agencia Estado,

19 Dezembro 2006 | 18h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.