Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

105 famílias são cortadas do Fome Zero na PB

Cerca de 105 famílias paraibanas inscritas no programa Fome Zero serão retiradas da lista dos beneficiados no município de São José dos Ramos. Sindicância feita pelo governo do Estado, através do Comunidade Ativa. órgão vinculado à Secretaria de Trabalho e Ação Social comprovou irregularidades na destinação dos recursos federais distribuídos pelo Cartão-Alimentação às famílias carentes do município. As denúncias foram feitas pelo deputado estadual João Gonçalves (PSDB).O resultado da apuração revela que 105 das 366 famílias que vinham sendo beneficiadas pelo Fome Zero desde maio não atendem aos requisitos estabelecidos pelo programa. De acordo com Fernando Ramalho, secretário-executivo do Fome Zero na Paraíba, havia presença de funcionários públicos e comerciantes entre os beneficiados. A partir deste mês, as famílias excluídas do programa já não receberão o benefício. Por determinação da secretaria, o comitê gestor municipal de São José dos Ramos ainda investiga a existência de 12 famílias que recebem o benefício no município, mas ainda não foram encontradas.O Fome Zero, que na primeira etapa contemplou 15 municípios paraibanos, garante pelo Cartão-Alimentação R$ 50 por mês às famílias com renda mensal de até meio salário mínimo. Somente no primeiro mês, o programa liberou cerca de R$ 2,8 milhões para a Paraíba. Ramalho disse que as irregularidades foram constatadas porque os benefícios foram dados em cima do cadastro de famílias carentes feito pela prefeitura e disponível na Caixa Econômica Federal há mais de dois anos.Cadastro viciado"O cadastro já era viciado há muito tempo", disse. Segundo ele, a liberação dos recursos foi determinada pelo próprio Ministério da Segurança Alimentar "na ansiedade de implantar o programa". O problema, aponta Ramalho, é que a distribuição foi feita sem a prévia validação do comitê gestor municipal, que é composto por representantes de entidades da sociedade civil organizada, incluindo Igreja, Poder Público Municipal e Estadual, além de associações rurais e urbanas. Por outro lado, diz o secretário-executivo, o governo levaria dois anos para refazer o cadastro das famílias carentes até iniciar o programa.Ramalho disse que a Setras vem alertando a todos os comitês gestores municipais do Fome Zero na Paraíba a revisarem os cadastros de famílias carentes. Atualmente, cerca de 185 municípios da Paraíba estão inscritos no programa, beneficiando aproximadamente 60 mil famílias. "Onde tiver distorção, seja corrupção ou vício natural, estaremos apurando para corrigir", salientou. Em outubro, a previsão é de que o Cartão-Alimentação seja distribuído em Campina Grande e Patos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.