10 milhões de ha já teriam sido usurpados pelo esquema

A investigação dos procuradores federais aponta o envolvimento de Falb Saraiva de Farias na grilagem dos 587 mil hectares devolvidos à União pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ele é acusado de grilar, no Acre e Amazonas, cerca de 10 milhões de hectares e já responde a várias ações na Justiça. Os procuradores afirmam que Farias pode ser testa-de-ferro de empresas interessadas em comprar terras e doá-las para a União para abater dívidas com o INSS. A terra em disputa teria sido inicialmente transferida por Luiz Bernardino de Sena à Tropical Madeiras Indústria e Comércio, de Farias.Ocorre que essa terra, 70 anos antes, fora transferida para Antonio Fomes de Moura, o que leva a crer que Farias seja o grileiro responsável pelas irregularidades. Os procuradores identificaram também o funcionário do cartório que o auxiliava no esquema. Mas ainda não conseguiram comprovar o envolvimento de juízes. Farias não foi localizado pelo Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.