Tentativa de homicídio a prefeito de Paraty pode ser crime político

Suspeitos presos por envolvimento no crime são primos do ex-prefeito José Carlos Porto Neto; atentado a Carlos José Gama Miranda e ao servidor público Sérgio José Miranda aconteceu em maio

Juliana Dal Piva, O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2015 | 13h25

RIO - Uma operação conjunta do Ministério Público do Rio e da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense na manhã desta terça-feira ,1, prendeu dois suspeitos pela tentativa de homicídio do prefeito de Paraty, Carlos José Gama Miranda, e do servidor público municipal Sérgio José Miranda. As investigações apontam para um crime com motivação política. Foram presos Jorge Porto Júnior, conhecido como "Romarinho", e Gilcélio Porto, vulgo "Buda", ambos são primos do ex-prefeito José Carlos Porto Neto, o Zezé.

O prefeito foi atingido, por volta das 19h do dia 19 de maio deste ano, quando deixava a prefeitura na companhia de Sérgio José, na Avenida Princesa Isabel, no bairro Pontal. Os dois foram alvejados na cabeça por um motoqueiro que os aguardava do lado de fora do prédio e fugiu após os disparos. De acordo com a perícia técnica realizada pela Divisão de Evidências Digitais e Tecnologia da Coordenadoria de Segurança e Inteligência, José Carlos Godoy Bustamante, preso temporariamente no dia 21 de julho deste ano, foi o executor do crime.

Após a prisão de Bustamante, as investigações prosseguiram para a identificação dos mandantes do crime. A partir da análise de imagens captadas por câmeras de segurança de diversos estabelecimentos da cidade, da oitiva de testemunhas, bem como das informações prestadas pelo executor do delito, foi constatado o envolvimento dos irmãos "Romarinho" e "Buda" no crime.

Tudo o que sabemos sobre:
Paratyprefeitoatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.