STF suspende quebra de sigilo de ex-mulher e filhas de doleiro Alberto Youssef

Ministro Marco Aurélio Mello considerou descabida obtenção de informações, decidida pela CPI da Petrobrás, sobre parentes de investigado na Lava Jato

Daniel Carvalho e Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

09 de julho de 2015 | 11h11

Brasília - Os integrantes da CPI da Petrobrás na Câmara foram informados nesta quinta-feira (9) de que o ministro Marco Aurélio do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu liminar suspendendo a quebra de sigilo da ex-mulher e das filhas do doleiro Alberto Youssef.

Para Marco Aurélio, a quebra dos sigilos, aprovada pela comissão, é descabida. "A obtenção de informações de pessoas ligadas à investigação não pode ser desprovida de critérios", diz o ministro.

Ele também criticou a aprovação de requerimentos em bloco, prática comum na CPI da Petrobrás. "A aprovação conjunta de diversos e heterogêneos requerimentos igualmente não atende à cláusula do Estado Democrático de Direito, da qual decorre a exigência de exposição dos fatos e fundamentos determinantes para a prática de atos do Poder Público".

O mandado de segurança que pede a suspensão da quebra de sigilo foi impetrado pelas filhas do doleiro, Kemelly Youssef, Taminy Youssef, e pela ex-mulher dele, Joana D'Arc da Silva. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.