Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Dilma indica vice-presidente do PR para diretoria no Dnit

Num movimento para angariar apoio político no Congresso, ela atendeu a um pedido da bancada do PR na Câmara e enviou ao Senado ofício para substituir o nome que já havia indicado para essa vaga por outro apoiado pelo partido

Andreza Matais, O Estado de S. Paulo

15 de setembro de 2015 | 19h43

Brasília- A presidente Dilma Rousseff indicou o vice-presidente do PR em Alagoas, Fernando Fortes Melro Filho, para a diretoria financeira do Departamento  Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Num movimento para angariar apoio político no Congresso, ela atendeu a um pedido da bancada do PR na Câmara e enviou ao Senado ofício para substituir o nome que já havia indicado para essa vaga por outro apoiado pelo partido.

Em julho, a presidente mandou para o Senado a indicação de Edme Tavares de Albuquerque Filho, funcionário de carreira do Dnit que já ocupava a diretoria financeira interinamente. A pedido de parlamentares do PR, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), segurou a discussão por dois meses até que a bancada conseguisse convencer o Palácio do Planalto a substituí-lo por um nome da legenda, o que ocorreu na última quarta-feira quando a presidente retirou a indicação de Tavares e enviou o nome de  Melro Filho para o Senado. O nome dele agora precisa ser aprovado na Comissão de Infraestrutura e depois pelo plenário do Senado. 

Ao governo interessa atender ao PR para evitar que o partido adote postura de independência. O líder do partido na Câmara, Maurício Quintella (AL), é próximo ao presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-AL), não se furta a participar de  reuniões na casa do peemedebista, que tem quase sempre críticas ao governo como pauta principal. 

Oriundo da iniciativa privada, Melro Filho é o atual superintendente do Dnit em Alagoas. Quintella disse ao Estado que sugeriu o nome dele ao Planalto com o apoio da bancada para ocupar uma das principais diretorias do Dnit, responsável por todos os pagamentos e gestão financeira do órgão. Neste ano de recessão, o orçamento do Dnit esta em torno de R$ 15,5 bilhões. O partido tenta impor à diretoria financeira a descentralização dos pagamentos das empresas que executam obras contratadas pelo órgão. Atualmente, os pagamentos atendem a uma cronologia, recebe primeiro a empresa que executou a obra. 

Melro Filho confirmou ao Estado que sua indicação foi política e não técnica. "Devo minha indicação ao partido. A executiva do partido me indicou por meio do deputado Quintella", disse. Sobre se irá trabalhar para atender a sigla, disse: "A recomendação é para que eu trabalhe para fazer o melhor para o país." No currículo que ele enviou ao Senado não consta sua ligação com o PR. 

O partido comanda o Ministério dos Transportes com Antonio Carlos Rodrigues e controla outras diretorias no Dnit. Na última semana, foram aprovados pela Comissão de Infraestrutura do Senado os a indicação de Valter Casimiro Silveira para o cargo de diretor-geral e de Gustavo Adolfo Andrade de Sá e Luiz Antônio Ehret Garcia para as diretorias executiva e de Infraestrutura Rodoviária. Gustavo Sá foi indicado para o cargo pelo deputado Wellington Roberto (PR-PB). As indicações precisam ainda ser aprovados no plenário. O Palácio do Planalto informou que não comenta sobre as decisões da presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma RousseffDnitPR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.