Zona central muda de lado e vota em petista

Pela primeira vez tucanato perde soberania na região da Santa Ifigênia, onde fica a cracolândia

ISADORA PERON, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2012 | 02h07

No mapa das zonas eleitorais de São Paulo, um ponto vermelho em meio à mancha azul do eleitorado predominantemente tucano chamou a atenção após os votos da eleição de domingo terem sido computados. Trata-se da região da Santa Ifigênia, conhecida por concentrar lojas de produtos eletrônicos.

Essa foi a única zona do centro expandido na qual o candidato do PT, Fernando Haddad, bateu o adversário José Serra (PSDB). Lá, o petista venceu por 51% a 49%. Historicamente, os tucanos dominam a área, enquanto o PT tem o seu eleitorado mais fiel na periferia. Fazia 12 anos que a sigla não vencia em um bairro do centro expandido.

De acordo com moradores da região ouvidos pelo Estado, medidas colocadas em prática pelo atual prefeito Gilberto Kassab (PSD), aliado de Serra, ajudam a entender essa mudança de comportamento. Nos últimos tempos, a Prefeitura intensificou as ações de combate ao comércio irregular nas ruas do município, o que atingiu diretamente a dinâmica do local. O bairro também foi alvo este ano de uma operação para acabar com o consumo livre de drogas na região, que popularmente é conhecida como cracolândia.

Foram esses os motivos apontados pelo comerciante Lauri Pais de Arruda, de 62 anos, para, pela primeira vez na vida, ter escolhido votar em um candidato do PT. "Eu nunca tinha votado no PT. Nunca", contou ele.

Para ele, a operação na cracolândia não teve o efeito desejado e o endurecimento da fiscalização contra os camelôs fez com que o movimento do seu bar diminuísse. "Eu sei que é difícil, mas espero que o Haddad consiga resolver esse problema da cracolândia", afirmou.

Descontente com a gestão Kassab, enumerou ainda outros motivos que o fizeram mudar de ideia este ano. Apontando para o lixo na rua, que se amontoava na calçada quase em frente ao estabelecimento, reclamou: "As pessoas não conseguem nem passar. Isso aqui está um abandono só".

Após servir um café e um pedaço de pão a um morador de rua, disse que a cena de pessoas pedindo comida se repetia o dia inteiro. "Isso se tornou comum."

Moradora da região, Alzira Ribeiro, de 66 anos, foi mais uma que decidiu mudar de candidato. Após votar em Serra no 1.º turno, optou por Haddad no domingo depois de conversar com amigos sobre as medidas que Kassab tomou em relação aos vendedores ambulantes. "Eu também já fui camelô, não é uma vida fácil."

A manicure Antonia Malta Ferraz apontou outro motivo para ter desistido de votar no tucano e ter apertado o 13 na urna: a saída de Serra da Prefeitura em 2006. "Eu até acho que ele foi um bom prefeito, mas todo mundo ficou com a impressão de que ele iria deixar o mandato de novo."

Promessa. Durante a campanha, o candidato do PSDB prometeu diversas vezes que, se eleito, ficaria os quatro anos no cargo. Serra também tentou se afastar da imagem de Kassab, que tem a gestão mal avaliada pela maioria dos paulistanos. As medidas, no entanto, não foram suficientes para impedir a derrota do tucano. Haddad venceu as eleições com 55,6% dos votos, e, além de Santa Ifigênia, superou o adversário em outras seis zonas que integram a chamada área antipetista da capital.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012HaddadSerraLulaKassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.