Wagner defende apadrinhado e vê 'ciúme da Bahia'

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), fez ontem veemente defesa do ministro Mário Negromonte, seu apadrinhado no governo federal. "Quero externar publicamente e politicamente a mais profunda solidariedade contra esse ataque constante que você vem sofrendo", discursou, em evento do Programa Minha Casa, Minha Vida. "O pessoal tem é muito ciúme da Bahia. Falam que tem muito ministro baiano, então toda hora dizem que um vai cair. Mas, se Deus quiser, a energia baiana vai segurar todos vocês lá."

O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2011 | 03h02

Wagner disse não ter conhecimento suficiente do caso de Cuiabá, mas ainda assim defendeu o ministro. Ele citou o caso de Salvador: lá, o projeto de BRT foi substituído por metrô de superfície. "No caso da Bahia, se tiver algum culpado por esta modificação, chama-se governador Jaques Wagner. Quem teria de ser atacado, se fosse o caso, seria eu, porque quem brigou para ser metrô fui eu, não o ministro", disse. "Não tem licitação, não tem nada assinado, não tem nada pago e caboclo já está dizendo que alguém está roubando." / T.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.