Wadih Mutran atribui enriquecimento à loteria

O vereador Wadih Mutran, do PP, candidato à reeleição na capital paulista, atribuiu sua evolução patrimonial, de cerca R$ 1,9 milhão nos últimos quatro anos, a um prêmio da loteria, ganho em 2009. A cotação de bens do parlamentar dobrou de 2008 para este ano, quando declarou à Justiça Eleitoral patrimônio de R$ 3,8 milhões.

O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2012 | 03h07

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, Mutran disse que ganhou R$ 600 mil após apostar numa trinca - três bilhetes sorteados - cada um com prêmio de R$ 200 mil. O vereador afirmou que usou o dinheiro para comprar apartamentos.

Sorte na loteria também foi apontada como justificativa para aumento de patrimônio por outros políticos. O caso mais famoso é o do deputado João Alves, envolvido no escândalo dos anões do orçamento, que afirmou ter vencido 221 vezes.

Comparativamente, a evolução patrimonial de Mutran representa 25% de toda a evolução do patrimônio que os 53 parlamentares que buscam reeleição declararam: de R$ 33,7 milhões para R$ 41,5 milhões.

Outro item curioso na declaração de Mutran é o que ele guarda em espécie. Dos R$ 260 mil que mantinha em dinheiro vivo em 2008, hoje a cifra alcança R$ 1,4 milhão. Segundo ele, o valor é usado para suporte familiar.

Em termos porcentuais, Quito Formiga (PR) lidera a lista dos maiores aumentos: 3.649%, passando de R$ 16,6 mil para R$ 622,4 mil. Em valores absolutos, quatro vereadores tiveram evolução superior a R$ 1 milhão. Fora Mutran, Sandra Tadeu (DEM) enriqueceu R$ 1,7 milhão; Aurélio Miguel (PR) e Marco Aurélio Cunha (PSD) incorporaram mais R$ 1,1 milhão. Os vereadores negam que tenha havido irregularidades e que o patrimônio foi declarado à Receita Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.