Vitória de Haddad no Nordeste estimula ataques a nordestinos no Twitter

Região deu a maioria dos votos ao petista; na plataforma, tema Nordeste ficou em primeiro lugar e dividiu usuários

Hannah Cliton e Victor Sena, especiais para O Estado

08 Outubro 2018 | 00h32

Com o avanço da apuração das urnas para a eleição presidencial, o tema Nordeste conquistou o primeiro lugar nos assuntos do momento no Twitter, tanto no Brasil quanto no mundo durante a noite deste domingo, 7.

Os mais de 600 mil tuítes marcados com a tag dividem opiniões entre críticos aos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), que estarão no segundo turno das eleições. Além de memes e piadas, tuítes preconceituosos discriminaram eleitores nordestinos.

A divisão regional e o crescimento do antipetismo no Brasil ficaram explícitos em diversos tuítes que chegaram a comparar o Nordeste com a Venezuela e a defender a separação da região do resto do Brasil.

Em um tweet publicado às 18h08, o usuário @tonim_jr escreveu que o Nordeste deveria ser cortado do mapa, “para o comunismo ficar lá”.

Outras pessoas também mencionaram os programas Bolsa Família e a seca para criticar os nordestinos.  Do outro lado político, eleitores críticos a Bolsonaro agradeceram à região Nordeste. O usuário @wiureal comentou que o Nordeste “vai livrar o Brasil do fascismo”.

Jair Bolsonaro ganhou em 16 Estados e no Distrito Federal. Já Haddad ganhou em nove unidades da federação: em oito Estados do Nordeste e no Pará. Bolsonaro ficou em primeiro lugar, com 46% dos votos válidos, enquanto o petista recebeu 29%

Entre os Estados do Nordeste, Haddad só não ganhou no Ceará, onde Ciro Gomes (PDT) levou 41% dos votos.

No Ceará, berço político de Ciro, o candidato Jair Bolsonaro ficou em terceiro lugar, quando havia 99,27% das urnas apuradas, com 21,83% dos votos válidos.

Com o aumento das menções ao Nordeste e ao Ceará, o Estado passou para o terceiro lugar nos Trending Topics do Twitter, com mais de 126 mil menções, muitas citando a diferença do resultado para o resto do país.

O candidato do PT à presidência – partido tradicionalmente forte na região – teve uma votação expressiva. Em Estados como a Bahia, com 92,39% das urnas apuradas, o ex-prefeito de São Paulo tinha 60,01% dos votos válidos. Já o candidato Jair Bolsonaro alcançou 23,54%.

Nas regiões Sul e Sudeste, Bolsonaro ganhou de forma mais expressiva. Em Santa Catarina, por exemplo, o candidato teve 65,82%, com 100% das urnas apuradas.

Nas eleições de 2014 e de 2010, casos de xenofobia também surgiram nas redes sociais. Devido a ofensas cometidas contra pessoas da região Norte e do Rio de Janeiro, a Justiça Federal em Taubaté (SP) condenou a dois anos e quatro meses de reclusão um internauta denunciado pelo Ministério Público por incitar a discriminação.

 

 

 

 

 


 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.