Vianna Santos adquiriu apartamento de luxo

O desembargador Vianna Santos, ex-presidente do TJ de São Paulo, empregou mais de 70% da bolada que mandou pagar a si mesmo na compra de um luxuoso apartamento da Rua José Maria Lisboa, nos Jardins. Vianna recebeu R$ 1,26 milhão, a maior parte, R$ 914 mil, em 2010 - quando era o mandatário máximo da Corte. Ele comprou o imóvel por R$ 1,4 milhão, à vista, em maio daquele ano.

O Estado de S.Paulo

17 Maio 2012 | 07h50

A aquisição do apartamento de 320 metros quadrados é alvo de investigação da Procuradoria-Geral de Justiça, que rastreia o patrimônio de Vianna. A procuradoria suspeita da origem do R$ 1,4 milhão com o qual o desembargador quitou o negócio. Ele morreu em janeiro de 2011.

A informação sobre o destino dos recursos depositados na conta de Vianna consta de manifestação da viúva, Maria Luiza, nos autos de investigação que o TJ realiza sobre pagamentos milionários. "Se é certo que houve pedido de antecipação de créditos represados, sem expressa justificativa, em 2010, também o é que, com tal valor, agregado ao resultado da venda de um apartamento que o desembargador tinha na Bela Cintra, adquiriu-se o apartamento do Edifício Marc Chagall, local que se tornaria residência do casal, hoje objeto dos bens a inventariar", assevera o advogado Edson Sampaio, defensor dos interesses de Maria Luiza.

Vianna requereu oito vezes por escrito à Comissão de Orçamento satisfação antecipada de créditos em atraso a "título de indenização". No último pedido, de 12 de janeiro de 2010, o desembargador reivindicou 90 dias de licença-prêmio "sem retenção da parcela do imposto de renda na fonte". Planilha da Diretoria da Folha de Pagamento da Magistratura destaca que Vianna recebeu os R$ 914 mil "por ordem do próprio". / F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.