Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Ronaldo Caiado é eleito governador de Goiás e quebra hegemonia tucana

Médico e de família de produtores rurais, senador obteve 59,73% dos votos

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 18h25
Atualizado 08 Outubro 2018 | 17h14

GOIÂNIA - Com 100% das urnas apuradas, o senador Ronaldo Caiado (DEM) foi eleito governador do Goiás no primeiro turno com 59,73% dos votos e quebrou uma hegemonia de duas décadas tucanas no Estado. 

Médico e de família de produtores rurais, o democrata iniciou sua vida na política ao se candidatar à Presidência da República em 1989 pelo PSD. Dois anos depois, foi eleito pela primeira vez como deputado federal por Goiás. O democrata foi também presidente da Comissão Permanente de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural na Câmara dos Deputados e criador da Frente Parlamentar de Apoio à Agropecuária, conhecida como “bancada ruralista”. 

 

Crítico dos governos petistas, Caiado teve participação ativa no Senado durante o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).  Ele também estava na casa durante o impeachment de Fernando Collor em 1992, mas votou contra.  Ele fez dobradinha com o apresentador e jornalista esportivo Jorge Kajuru (PRP), que é vereador em Goiânia e conseguiu uma vaga no Senado, com 28,28% dos votos. Além dele, Goiás também elegeu ex-prefeito de Senador Canedo Vanderlan Cardoso (PP), que ficou em primeiro lugar com 31,47% dos votos. 

Nestas eleições, Caiado derrotou o atual governador Zé Eliton do PSDB. Durante sua campanha, o senador fez críticas a Marconi Perillo (PSDB), que deixou o posto em abril para se candidatar ao Senado, quando José Eliton assumiu a gestão. Perillo teve 7,46% dos votos para o Senado. A campanha dos tucanos também foi abalada nas últimas semanas quando Perillo foi alvo de operação da Polícia Federal. 

Depois de iniciar a pré-campanha com uma romaria de 18 quilômetros na região de Goiânia, Caiado encerrou os trabalhos no sábado em Trindade, cidade a 16 quilômetros da capital de Goiás, conhecida pelo Santuário Basílica e sua tradição religiosa.

O candidato não oficializou o apoio a nenhum candidato à Presidência da República durante sua campanha. Segundo ele, o DEM deve reunir nesta terça-feira em Brasília, para definir o apoio e só então deverá se pronunciar.

Acompanhe aqui as últimas notícias sobre as eleições. 

Mais conteúdo sobre:
eleições 2018Goiás [estado]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.