Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Ibaneis é eleito governador do Distrito Federal; veja o resultado da eleição

O candidato do MDB teve 69,79% dos votos e derrotou Rodrigo Rollemberg, do PSB

Camila Turtelli e Caio Nascimento, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2018 | 17h26

Brasília, 28/10/2018 - O candidato do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Ibaneis Rocha, foi eleito no Distrito Federal. Com todas as urnas apuradas,  Ibaneis teve 69,79% dos votos. O segundo colocado, Rodrigo Rollemberg (PSB), ficou com 30,21%. Brancos e nulos totalizaram 193.327 dos votos (11,46%).

Novato na política, Ibaneis virou uma das maiores surpresas na disputa eleitoral. O advogado de 47 anos e ex-presidente regional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) saltou de 2% das intenções de votos, no início da campanha em agosto, para liderar a preferência do eleitorado com folga no segundo turno. Ele desbancou, no primeiro turno, adversários conhecidos do eleitorado do DF.

Entre eles, Eliana Pedrosa (Pros), eleita três vezes deputada distrital (2002, 2006 e 2010) e que liderava as pesquisas no início da campanha e também o deputado federal e líder na Câmara da chamada Bancada da Bala, Alberto Fraga (DEM).

O aparente anseio da sociedade por uma renovação na política, como foi registrado nas urnas no início de outubro, pode ter motivado a ascensão meteórica de Ibaneis. “Um governo impopular, o sentimento de rejeição, além de alguém com poder econômico podem explicar esta subida”, afirma o cientista político Leonardo Barreto.

O próprio candidato concorda. “Sou muito técnico e pragmático, já vinha pesquisando há um ano e meio para ver o sentimento da população e era de renovação”, diz Ibaneis.

O advogado afirma que, ao se decidir entrar para a política, primeiro procurou o PDT, mas sentiu que não haveria espaço para sua candidatura, então, acabou na legenda de Michel Temer. Questionado se não via contradição em se apresentar como o candidato da renovação e fazer parte de um grupo político tão tradicional, Ibaneis afirmou que procurou um lugar onde pudesse ter diálogo aberto com os demais partidos, além de precisar do tempo de televisão.

Considerado um dos padrinhos da candidatura de Ibaneis, o ex-vice-governador do DF e ex-assessor do presidente Michel Temer, Tadeu Filipelli (MDB), afirma que viu no advogado um “bom produto” que representava o desejo da sociedade por renovação na política. “Ele é extremamente inteligente, tem rapidez de raciocínio e poder de comunicação”, diz. Filipelli foi preso no ano passado por suspeitas de recebimento de propina nos contratos para as obras do estádio Mané Garrincha e isso rendeu a Ibaneis fortes críticas de seus adversários. “Quanto mais ele subia, mais eu apanhava”, afirmou Filipelli. O ex-vice-governador acredita que isso pode inclusive ter contribuído para sua derrota nas urnas, como deputado federal.

Ibaneis comemora sua vitória no Centro de Convenções Ulysses Guimarães em Brasília, onde fez um discurso.

Na votação do primeiro turno, o vencedor alcançou 634.008 votos (41,97%) e apoia a candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro. Enquanto isso, o atual governador da capital do País, Rollemberg, teve a preferência de 210.510 eleitores (13,94%) e possui uma rejeição de 57% do eleitorado, segundo dados do último sábado, 27, divulgados pelo Ibope. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.