Reprodução/ Rede social
Reprodução/ Rede social

Vândalos invadem escola e destroem dez urnas eletrônicas em Sorocaba

Dois guardas municipais destacados para vigiar o prédio chegaram a atirar contra suspeito, que fugiu

José Maria Tomazela/ SOROCABA, O Estado de S. Paulo

28 de outubro de 2018 | 11h04

Dez das 15 urnas eletrônicas de um posto de votação em Sorocaba, interior de São Paulo, foram depredadas na madrugada deste domingo (28). O ataque aconteceu na Escola Estadual Humberto de Campos, na região do Cerrado, zona oeste da cidade. Várias salas foram reviradas e, numa delas, os vândalos deixaram um bilhete com os dizeres: "Todos vocês vão pro inferno". 

Os guardas municipais que vigiavam o prédio só perceberam a ação depois que ela tinha acontecido. Conforme o cartório eleitoral, as urnas danificadas foram substituídas antes das 8h, horário de início da votação, e não houve atraso.

Na escola funciona a 17.ª seção da 271.ª zona eleitoral, com 3,6 mil eleitores cadastrados. De acordo com a chefe do cartório, Samara Ferreira de Oliveira, o local onde estavam as urnas havia sido vistoriado na manhã de sábado (27).

Quando os funcionários chegaram, no início da manhã, encontraram as portas das salas arrombadas e, além das urnas danificadas, o material usado pelos mesários estava espalhados pelo prédio. A Polícia Militar foi chamada e o cartório providenciou a troca dos equipamentos avariados.

O comandante da Guarda Municipal, Marcos Mariano, informou que os dois guardas destacados para fazer a segurança da escola viram um homem pulando o muro no fim da noite de sábado e o perseguiram. Na tentativa de abordagem, um dos agentes chegou a disparar, mas não atingiu o suspeito, que fugiu. A ação será investigada.

Em outro posto de votação, na Escola Estadual Flávio Gagliardi, ladrões furtaram a fiação elétrica durante a madrugada, deixando o prédio sem energia. De acordo com o cartório eleitoral, a ação não prejudicou o início da votação porque as urnas eletrônicas têm baterias com duração de oito horas. De manhã, a rede elétrica estava sendo recuperada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.