Valério entregou documento em 2005

O advogado Marcelo Leonardo, que defende Marcos Valério, afirmou que a decisão de reter o passaporte "não faz a menor diferença". Leonardo declarou que o empresário entregou o documento no início do escândalo, em agosto de 2005, à Procuradoria-Geral da República.

O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2012 | 03h04

O documento consta do primeiro dos 237 volumes do processo do mensalão. Ele lembrou que, nas duas vezes em que Valério foi preso, estava em casa. Questionado se o passaporte dele já não estaria vencido, uma vez que o documento tem cinco anos de vigência, o advogado disse que "não tem a menor ideia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.