Valdomiro Lopes, do PSB, vence em São José do Rio Preto

Ele obteve 51,21% dos votos válidos, contra 48,79% de João Paulo Rillo, do PT, segundo o TSE

Da Redação com José Maria Tomazela, de O Estado de,

26 de outubro de 2008 | 19h31

Com 100% das urnas apuradas, o candidato Valdomiro Lopes, do partido PSB, venceu a disputa pela Prefeitura da cidade de São José do Rio Preto. Ele obteve 51,21% dos votos válidos, contra 48,79% de João Paulo Rillo, do PT, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Brancos e nulos somaram 6,19%. No primeiro turno, Valdomiro Lopes Júnior (PSB) ficou com 40,02% dos votos válidos contra os 28,91% do candidato do PT, João Paulo Rillo. Veja também:Kassab chega ao dia da eleição 19 pontos à frente de MartaGabriel Manzano, de O Estado de S. Paulo, comenta o debate  Galeria de fotos  Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  'Eu prometo' traz as promessas dos candidatos Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras Confira o resultado eleitoral nas capitais do País  O atual prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo (PPS), declarou apoio ao candidato do PSB, Valdomiro Lopes Júnior, na disputa do segundo turno contra o petista João Paulo Rillo. A adesão deu boa vantagem a Valdomiro, que venceu o primeiro turno com 40,02% dos votos válidos. O concorrente do PT teve 28,91% e o postulante apoiado pelo prefeito, Orlando Bolçone, do PPS, ficou em terceiro, com 25,26%. Edinho esperava transferir os votos de Bolçone para Valdomiro, que tem como vice na chapa o PSDB - a cúpula paulista do partido costurou o acordo. O prefeito contou até com a presença do governador tucano José Serra na cidade para anunciar o apoio, mas a programação em outras cidades da região atrasou e a visita foi adiada.  De acordo com o prefeito, o secretário da Casa Civil, Aloysio Nunes, intermediou as conversas, mas nenhuma condição foi imposta. Edinho também tinha sido assediado pelo PT. "Tenho o melhor relacionamento com o PT do Lula e uma boa relação com grande parte do PT, mas o candidato, que é vereador, nunca me procurou e tem sido um crítico ácido da minha administração." O coordenador da campanha local petista, Carlos Henrique de Oliveira, disse que Edinho tinha exigido, em troca do apoio, que a representação do partido na Câmara aprovasse suas contas de 2004, rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Edinho negou, por sua assessoria, qualquer conversa nesse sentido com o PT. Informou que as contas foram rejeitadas por uma questão técnica: teria sido investido menos do que manda a lei na Educação. Mas, segundo o prefeito, será provado que ele investiu mais do que o exigido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.