Urna eletrônica é furtada na zona leste de São Paulo

O aparelho pertencia à zona eleitoral da Escola Estadual Prefeito Francisco de Assis Pires Correa, no Conjunto José Bonifácio

Jéssica Freitas e Gheisa Lessa, de O Estado de S.Paulo,

28 de outubro de 2012 | 09h57

SÃO PAULO - Uma urna eletrônica foi furtada na madrugada deste domingo, 28, na zona Leste da capital paulista. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), o aparelho pertencia à zona eleitoral da Escola Estadual Prefeito Francisco de Assis Pires Correa, no Conjunto José Bonifácio.

 

A urna furtada ainda não foi localizada. Por volta das 8h20 deste domingo, um novo equipamento chegou à escola na zona leste para substituir o que foi furtado. A votação não foi comprometida e, de acordo com TRE, a urna levada não poderá ser utilizada.

 

Falhas. Após uma hora do início do segundo turno das eleições municipais, 35 urnas eletrônicas já apresentaram problemas em 12 das 50 cidades que escolhem seus prefeitos neste domingo, 28. O número é baixo, de acordo com o Superior Tribunal Eleitoral (TSE), e representa 0,04% das 86.187 urnas disponibilizadas em todo o País.

 

Quatro urnas tiveram problemas na capital paulista. O TSE não soube dizer em quais colégios eleitorais houve a troca para novos equipamentos, também eletrônicos. No Estado de São Paulo, houve falha em outras quatro urnas – duas em Guarulhos, uma em Ribeirão Preto e outra em Campinas.

 

Em Manaus, 14 urnas apresentaram problemas e foram substituídas. Uma também parou de computar votos em Rio Branco (AC). Porto Velho (RO), também registrou uma urna quebrada.

 

Cinco máquinas precisaram ser trocadas em Duque de Caxias, e duas em São Gonçalo, ambas cidades do Rio de Janeiro. Uma máquina falhou em Vitória (ES), duas em Blumenau (SC), e uma em Curitiba (PR).

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.