Tuitada de 2011 iniciou polêmica

Marco Feliciano (PSC-SP) é acusado de racismo desde 31 março de 2011, quando disse no Twitter que "os africanos descendem de um ancestral amaldiçoado". Referia-se a uma passagem da Bíblia, no Gênesis, envolvendo Noé. Diz o texto bíblico que, após se embebedar, o patriarca foi flagrado nu por Cam, seu filho mais novo, que riu dele. Quando se recuperou e soube do fato, Noé amaldiçoou o filho de Cam, Canaã. Disse a ele, segundo o texto bíblico: "Maldito seja: servo dos servos seja aos seus irmãos". Há várias interpretações dessa passagem. Feliciano faz parte do grupo fundamentalista que acredita que, uma vez que Canaã teria povoado a África, a maldição se estende aos seus habitantes, descendentes dele. No passado, isso foi usado para justificar a escravidão dos negros. No Twitter, Feliciano afirmou ainda: "A maldição que Noé lança sobre seu neto respinga sobre o continente africano, daí a fome, pestes, doenças, guerras étnicas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.