Tucanos querem sabatina rápida por causa do mensalão

Em meio à retomada do julgamento do mensalão, o líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), defendeu ontem que a Comissão de Constituição e Justiça faça o quanto antes a sabatina de Rodrigo Janot, indicado pela presidente Dilma Rousseff para o cargo de procurador-geral da República. Com a saída de Roberto Gurgel na última semana, o tucano teme pelo tempo em que a função ficará vaga. "É importante submeter logo ao plenário do Senado, não pode ficar vago por muito tempo", disse. "Espero que esteja à altura de seu antecessor."

Laís Alegretti e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2013 | 02h06

O líder do governo na Casa, Eduardo Braga (PMDB-AM), disse que a apreciação da indicação de Janot deve ter uma "sequência lógica e normal". Ele calcula que um relator seja designado até amanhã e que o relatório seja apresentado na CCJ na quarta-feira. Com pedido de vista coletivo, a votação na comissão ocorreria na próxima semana e, a partir daí, estaria apto para ser submetido ao plenário. "É claro que teremos todos os cuidados em relação a essa matéria, porque não podemos perder prazos", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
MensalãoPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.