Tucanos dizem que promotoria nunca os procurou

O deputado Carlos Bezerra Jr. afirmou, em nota, estar "indignado com as acusações (...) apresentadas pela reportagem do Estadão". E acrescentou: "Jamais fui sequer procurado pelo Ministério Público nem por nenhuma outra autoridade para tratar do tema. Nunca tive influência, direta ou indireta, na gestão de saúde no município de São Paulo ou em qualquer outro". O tucano não comentou o e-mail enviado de seu gabinete para Fábio Carone, em que se pedia emprego para uma mulher.

O Estado de S.Paulo

10 Dezembro 2013 | 02h07

O deputado João Caramez enviou nota à reportagem. "Estranho que esta suposta operação envolva meu nome sem que eu tenha sido intimado para manifestações. Assim que tiver acesso ao conteúdo da referida investigação, responderei com prazer aos questionamentos", afirmou.

Ele não comentou as afirmações sobre os supostos pagamentos mensais. Também não respondeu aos questionamentos quanto à sua relação com Carone e sobre o balanço financeiro de sua festa de aniversário.

O criminalista Celso Vilardi, que defende Carone, disse que vai estudar os termos da denúncia para depois se manifestar.

Mais conteúdo sobre:
Cartel Carlos Bezerra Jr. João Caramez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.