Tucanos convocam servidores em Minas para campanha

Tucanos convocam servidores em Minas para campanha

Comitê do candidato Pimenta da Veiga envia e-mails para funcionários do governo participarem de ato político

Pedro Venceslau , O Estado de S. Paulo

18 de setembro de 2014 | 03h00

Um dia depois da divulgação da pesquisa Ibope de intenção de voto apontar a ampliação da vantagem do petista Fernando Pimentel sobre o tucano Pimenta da Veiga na disputa pelo governo de Minas Gerais, o comitê de campanha do candidato do PSDB enviou uma “convocação” para que todos os “subsecretários, chefes de gabinete, superintendentes, coordenadores e diretores do governo” participassem de um atividade de campanha realizada nesta quarta-feira, 17, em Belo Horizonte.

Segundo o levantamento do Ibope divulgado nesta terça-feira, 16, o candidato petista Pimentel aparece com 43% das intenções de voto, ante 23% do candidato tucano Pimenta da Veiga.


Assinada por um assessor da campanha tucana chamado Cleiton Dutra, a mensagem dizia que a convocação estava sendo feita em nome “do nosso líder, Danilo de Castro”, ex-secretário de governo do Estado que deixou o cargo para reforçar a campanha de Pimenta da Veiga ao governo mineiro.

“Como é do conhecimento de sua chefia imediata, aguardamos sua presença. Favor enviar por e-mail as listas contendo os nomes completos, e-mail pessoal e telefone pessoal dos superintendentes, diretores”, diz a mensagem, a qual o Estado teve acesso. Os funcionários do governo receberam a convocação pelos e-mails funcionais e pessoais. O texto termina com um pedido para que todos “confirmem presença” por e-mail. 

‘Nível pessoal’. A assessoria de Pimenta da Veiga afirma que Danilo de Castro “não é mais secretário de Estado”, já que foi exonerado do cargo no dia 15 de julho. “Portanto, não fala em nome do governo do Estado.” 

Ainda de acordo com a campanha tucana, o “convite” foi feito “em nível pessoal, para e-mails pessoais, para evento fora do horário de expediente”. 

O acesso aos endereços eletrônicos dos funcionários, segundo os tucanos, foi feito por meio de bases de dados públicas que seriam utilizadas também por candidatos da oposição. Procurada, a assessoria de imprensa do governo de Minas Gerais disse não ter conhecimento da iniciativa. 

Susto. A pesquisa Ibope divulgada na terça-feira com as intenções de voto para o governo de Minas Gerais - que apontou a possibilidade de vitória de Fernando Pimentel no 1.º turno - surpreendeu os tucanos do Estado. Ex-aliado do presidenciável tucano, Aécio Neves, o candidato do PT subiu seis pontos porcentuais em relação ao levantamento anterior, realizado no fim de agosto.

Para tentar reverter a situação do aliado no Estado, Aécio Neves, que aparece em terceiro lugar nas pesquisas, decidiu reforçar a campanha em Minas Gerais e passou cumprir agenda no Estado pelo menos duas vezes por semana. 

Nesta sexta-feira, o candidato do PSDB à Presidência participará de uma caminhada no bairro Venda Nova, na periferia de Belo Horizonte. No sábado Aécio estará com Pimenta da Veiga em Ipatinga.

Temendo perder influência em sua base eleitoral e sair da disputa derrotado em sua base, o que o enfraqueceria como liderança nacional, o presidenciável tucano interveio na campanha de Pimenta da Veiga. 

Estratégia. Figura central no comando da campanha de Aécio, sua irmã, Andrea Neves, deixou o núcleo duro da equipe nacional e foi para Belo Horizonte com a missão de reformular toda a estratégia tucana. 

Como parte das mudanças, Danilo de Castro, que comandou as duas campanhas de Aécio para governador, e a de seu sucessor no governo, Antonio Anastasia, nas eleições de 2010, ganhou papel de destaque na campanha de Pimenta de Veiga. 

A primeira mudança foi no tom da campanha. A ordem foi intensificar os ataques ao adversário petista, além de colar em Pimenta a imagem de Aécio. 

A avaliação dos tucanos é a de que Pimenta estava atuando de forma olímpica, enquanto o adversário fazia campanha descolado do PT e da candidata à reeleição Dilma Rousseff para confundir o eleitor, já que o petista foi aliado de Aécio.

Nas eleições municipais de 2008, Fernando Pimentel e Aécio Neves se uniram para eleger Márcio Lacerda (PSB) prefeito de Belo Horizonte. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.