Tucanos contratam telemarketing para atualizar cadastro

Após reportagem do 'Estado' ter revelado inconsistências na base de filiados do partido, direção atualiza dados

O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2012 | 03h04

Inconsistências em sua lista de filiados levaram o PSDB de São Paulo a contratar uma empresa de telemarketing para atualizar os dados dos tucanos que, em março, escolherão o candidato a prefeito do partido.

"Precisamos melhorar a qualidade do nosso cadastro", afirmou o presidente municipal do PSDB, Julio Semeghini. "Há pessoas com dados desatualizados, principalmente o endereço."

No final de janeiro, reportagem do Estado revelou a existência de tucanos que nem sequer sabiam que estavam filiados ao partido. Alguns apontaram cadastros em um programa social do governo estadual, o Vivaleite, como explicação para sua conexão com a legenda.

Até o momento, a busca do PSDB por seus filiados já chegou a cerca de 8.500 pessoas, de uma relação que supera os 21 mil nomes. Semeghini negou que o levantamento possa levar a uma mudança na lista de tucanos aptos a votar nas prévias do partido. "Não seria possível fazer isso sem um novo recadastramento", afirmou. Em 2009, um recadastramento reduziu o número de filiados na capital, então próximos dos 40 mil, para algo em torno da metade.

Prévias. A iniciativa do PSDB de realizar uma consulta a seus filiados neste ano para indicar um candidato a prefeito de São Paulo conta com o aval do governador Geraldo Alckmin, mas encontra resistências em outros grupos tucanos.

Até agora, quatro nomes se apresentaram para as prévias: Andrea Matarazzo, secretário de Estado da Cultura, José Aníbal, secretário de Estado de Energia, Bruno Covas, secretário de Estado do Meio Ambiente e Ricardo Trípoli, deputado federal.

Desde o final do ano passado, eles participam de debates que buscam envolver a militância tucana da capital na consulta. As prévias estão marcadas para acontecer no início do próximo mês, porém a homologação da candidatura só ocorrerá em junho, durante convenção.

Serra. No final do mês passado, o ex-governador José Serra (PSDB) reuniu o seu grupo de aliados mais próximos e informou que não será candidato na eleição municipal deste ano, confirma queria Alckmin.

De acordo com aliados, o ex-governador acha que, se entrar na disputa, passará a campanha inteira dizendo que não renunciará para alcançar outro cargo - ele deixou a Prefeitura em 2006 para concorrer ao governo estadual e, depois, em 2010 saiu do Bandeirantes e se lançou à Presidência. / J.D E D.B

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.