Tucano pede ao PSDB 'tempo para reflexão'

Ex-governador teria feito o mesmo pedido ao prefeito e pensará, na folia, se abre mão de projeto nacional e disputa a Prefeitura de SP

ALBERTO BOMBIG, GUSTAVO URIBE, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2012 | 03h05

O ex-governador José Serra pediu aos tucanos um tempo para pensar sobre sua eventual candidatura a prefeito de São Paulo neste ano, mas está inclinado a rever sua posição de não concorrer nas urnas e aceitar o desafio proposto pelo partido. Serra transmitiu o mesmo recado ao prefeito Gilberto Kassab (PSD) nesta semana, o que o levou a paralisar as negociações com o PT em torno da candidatura de Fernando Haddad (PT).

O prazo pedido por Serra incluiria os quatro dias do carnaval. Ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Serra afirmou que ainda não conseguiu sepultar totalmente o sonho de uma nova tentativa de chegar ao Palácio do Planalto, em 2014.

O ex-governador sabe que, uma vez eleito novamente prefeito ou derrotado nas urnas, será praticamente impossível ser candidato a presidente pelo PSDB em 2014. Ele próprio afirmou a Alckmin que uma manobra como a de 2004, quando deixou a Prefeitura sem concluir o mandato, é impossível de ser repetida, e uma derrota para novatos como Haddad ou Gabriel Chalita (PMDB) seria acachapante para manter seu cacife eleitoral.

Portanto, o âmago de sua decisão nos próximos dias é abandonar de uma vez por todas a ideia de ser candidato a presidente em 2014 pelo PSDB. No mês passado, Serra chegou a reunir seu grupo político para informar que não pretendia ser candidato a prefeito novamente.

Porém, a pressão aumentou sobre ele após Kassab ter se aproximado do PT, e neste carnaval, a exemplo do que fez em 2006, Serra deverá deixar a capital paulista em busca de "um espaço para reflexão", nas palavras de um dos dirigentes do PSDB com quem ele conversou. Segundo sua assessoria de imprensa, o destino do governador, a exemplo do político, ainda era incerto.

Conforme apurou o Estado, a agenda de Serra ainda está voltada a um "projeto nacional", que previa visitas às folias de Pernambuco e da Bahia.

Prévias. As prévias para escolha do candidato do PSDB estão marcadas para o dia 4 de março. Por causa disso, a cúpula tucana gostaria de uma posição de Serra logo após o feriado de carnaval, já que ele não se inscreveu. Apesar da possibilidade de Serra sair da capital, um aliado de Alckmin disse que o governador pretende se reunir com seu antecessor durante o feriado do carnaval.

Alckmin quer ouvir de Serra um indicativo de que ele pretende ingressar na disputa municipal e, assim, buscar, em conjunto, uma saída honrosa para enterrar as prévias. Ontem, Alckmin voltou a afirmar que as prévias estão mantidas e que, se Serra entrar na disputa, o PSDB discutirá a questão. Três dos quatro pré-candidatos são secretários de Alckmin, o que facilita a negociação: José Aníbal (Energia), Bruno Covas (Meio Ambiente) e Andre Matarazzo (Cultura). Ricardo Tripoli é deputado federal. / COLABOROU MALU DELGADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.