Tucano líder de FHC critica o governador

Após uma hora e meia de reunião com a presidente Dilma Rousseff no Planalto, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB), atacou ontem Geraldo Alckmin (PSDB), ao comentar a postura do governo paulista sobre a alíquota de ICMS. Virgílio foi líder e ministro de FHC.

RAFAEL MORAES MOURA/ BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2013 | 02h01

"Alckmin teve a honra de ser candidato a presidente. Viajou o país inteiro. Quando você é candidato à presidente, não pode mais trabalhar olhando o próprio umbigo", criticou o prefeito. O posicionamento de São Paulo, acrescentou, condena o Estado a não eleger "tão cedo um presidente da República". A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado manteve em 12% a alíquota da Zona Franca de Manaus nas operações interestaduais do ICMS - Alckmin trabalha por alíquota única de 4%.

"Quando vejo alguém de Tocantins votar junto com São Paulo, considero uma alienação. Nunca vi ovelha fazer acordo com lobo", disse Virgílio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.