Tucano e petista voltam a trocar ataques em campanha

No rádio, PSDB chamou proposta do PT de 'bilhete mensaleiro'; Haddad diz que Dilma o alertou sobre 'tom rebaixado'

/ ROLDÃO ARRUDA e CIRCE BONATELLI, AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2012 | 03h03

Candidatos à Prefeitura de São Paulo, o tucano José Serra e o petista Fernando Haddad voltaram a se atacar ontem em eventos de campanha. Serra criticou a proposta de um bilhete único mensal feita pelo petista. Haddad, por sua vez, disse que a presidente Dilma Rousseff já o havia alertado sobre o "tom rebaixado" que seria adotado pela campanha do PSDB.

No horário eleitoral veiculado no rádio entre 7h e 7h30 da sexta-feira, o programa de Serra chamou de "bilhete mensaleiro" a proposta do candidato petista. Questionado, Serra disse não ter ouvido o programa, mas desqualificou a proposta. "Encarece a passagem, cobra de quem não anda de ônibus e não vale para trem e metrô", disse. O bilhete proposto por Haddad teria tarifa única, sem limite de viagens, com validade de um mês.

As declarações de Serra foram feitas após uma visita à feira livre do Pacaembu, diante do Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho. No local, prometeu que, caso seja eleito, ampliará o horário das feiras livres nos fins de semana. E, questionado por um feirante, afirmou que não deixaria a Prefeitura após dois anos de mandato, como já fez no passado.

Dilma avisou. Haddad rebateu as críticas citando a presidente Dilma. "Ela já havia me alertado que a campanha do Serra teria esse tom, rebaixado na minha opinião, ao invés de buscar soluções para a cidade", disse o petista, em caminhada na zona sul.

O candidato do PT defendeu sua proposta. Alegou que o modelo é adotado em outros países e que os cidadãos de São Paulo não têm recursos para pagar todas as vezes em que tiverem de usar ônibus. Haddad teve o apoio do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), com quem se encontrou no início da caminhada. "Serra mostrou desconhecimento ao criticar a proposta", afirmou ele.

Haddad disse que, se eleito, convidará o governo estadual, comandado pelo PSDB, para integrar o bilhete sugerido aos sistemas de trem e metrô. "Estamos de portas abertas para que o governo estadual adira a essa contribuição para a cidade."

O candidato petista fez uma visita a comerciantes ao longo da Avenida Cupecê. Falou também que pretende incentivar, com isenção fiscal, empresas que se instalarem no local. "Vamos transformar essa região num polo gerador de emprego e renda."

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012PTPSDBSerraHaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.