O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2012 | 03h05

O nome do governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, foi citado 237 vezes por pessoas envolvidas no esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira. A informação foi dada ontem pelo delegado da Polícia Federal Matheus Mella Rodrigues, em sessão reservada da CPI que investiga o caso. Segundo ele, durante as interceptações telefônicas feitas na Operação Monte Carlo. 81 autoridades com foro especial foram citadas nas conversas. Na lista, constam vereadores, deputados federais e estaduais, senadores, secretários de Estado, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e até a presidente Dilma Rousseff. Sobre Perillo, o investigador afirmou que, em apenas duas ocasiões, o governador aparece conversando diretamente com Cachoeira. As ligações serviram para marcar encontros entre os dois. / RICARDO BRITO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.