TSE mantém prisão de Carminha Jerominho no Rio

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve a prorrogação da prisão temporária da vereadora Carmem Glória Guinâncio Guimarães (PT do B), conhecida como Carminha Jerominho. A decisão do ministro Felix Fischer foi divulgada hoje. A Polícia Federal prendeu Carminha na Operação Voto Livre, efetuada em 29 de agosto para combater currais eleitorais no Rio. Ela é acusada de se beneficiar da atuação da milícia "Liga da Justiça" para obter votos nas eleições de domingo. Ela concorreu como vereadora, obtendo mais de 22 mil votos. Segundo o TSE, no pedido de reconsideração do habeas-corpus, Carminha alegava que o pleito já passou e, portanto, cessou o motivo para mantê-la presa. Felix Fischer afirmou, no entanto, que o término das eleições não prejudica a prisão, pois, além de crimes eleitorais, a investigação abrange a suposta participação de Carminha em crime de tentativa de homicídio praticada por grupo de extermínio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.