EFE/Joédson Alves
EFE/Joédson Alves

TSE: 4.333 urnas foram substituídas em todo o País e 193 pessoas foram presas

O número representa 0,83 % do total de urnas brasileiras

Amanda Pupo e Fabio Serapião, Estadão

28 de outubro de 2018 | 11h20
Atualizado 28 de outubro de 2018 | 18h38

BRASÍLIA — O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou há pouco que foram substituídas 4.333 urnas eletrônicas que apresentaram problemas em todo o País, representando 0,83 % do total, com informações atualizadas às 16h53. Segundo a Corte Eleitoral, em quatro cidades foi necessário haver votação manual - Cordislândia (MG), Apuí (AM), Saubara (BA) e Magé (RJ). 

Entre o primeiro boletim divulgado pelo tribunal, das 10h, e o atual, houve substituição de 3.421 urnas - no primeiro, a informação era de 912 urnas com problemas.

São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais continuam liderando os números de troca das urnas, 812 no primeiro estado, 559 no segundo e 493 no terceiro. Em termos porcentuais, as trocas foram feitas principalmente em Sergipe (1,66%), Paraná (1,48%) e Rio de Janeiro (1,46%). 

PRISÕES

Em todo Brasil, 193 pessoas foram presas por prática de crimes eleitorais neste domingo, 28, segundo turno das Eleições 2018. Os números são do Centro Integrado de Comando e Controle (CICCN) da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

As prisões são resultado das 1.415 ocorrências registradas pelas policiais estaduais e as superintendências regionais da Polícia Federal. Ao todo, 270 mil policiais estaduais e federais, bombeiros e guardas municipais atuam para garantir a segurança e ordem durante o pleito.

Se comparado com o 1º turno, os números são quase três vezes menores. No dia 7 de outubro, o CICCN registrou 3.251 ocorrências que resultaram em 929 prisões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.