Tropas garantiram tranqüilidade nas eleições no Rio, diz TRE

Desembargador, no entanto, não soube precisar se as Forças continuarão presentes por conta do 2º turno

Agência Brasil

06 de outubro de 2008 | 14h23

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral  (TRE) do Rio, desembargador Alberto Motta Moraes, atribuiu a tranqüilidade das eleições no estado à presença das Forças Armadas em áreas de conflito. Para ele, a presença dos soldados foi um avanço no processo democrático.  Veja Também:Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  Tire suas dúvidas sobre as eleições  "As Forças Armadas atuaram dentro de um processo democrático, não atuaram por iniciativa própria, atuaram por convocação e a pedido da Justiça Eleitoral, o que acaba por se transformar em uma demonstração inequívoca de que elas não têm por que se afastar do processo político-eleitoral. Elas foram de importância fundamental para a garantia da tranquilidade destas eleições. Não há como afastar a positividade do resultado da atuação das Forças Armadas. Eu diria que elas foram imprescindíveis para o êxito do pleito no estado", afirmou.  O desembargador, no entanto, não soube precisar se as Forças Armadas continuarão presentes por ocasião do segundo turno. Ele disse que quem vai decidir isso é o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  Os candidatos das coligações lideradas pelo PMDB e pelo PV, Eduardo Paes e Fernando Gabeira, disputarão o segundo turno das eleições para a prefeitura do Rio.  Em geral, a votação transcorreu normalmente em todos os municípios. A boca-de-urna - que é crime eleitoral - foi um dos principais problemas registrados. Centenas de pessoas foram presas e depois liberadas pela prática do delito. Das mais de 30 mil urnas espalhadas pelo estado, apenas 322 tiveram que ser substituidas por apresentar defeito, das quais 169 na capital. Esse número, no entanto, sobe para 324 se forem levados em conta locais em que a votação teve que ser feita manualmente.  As eleiçõe foram definidas em primeiro turno em praticamente todo o Estado - à exceção da capital e do município de Petropólis. Vários dos atuais prefeitos confirmaram o mandato, garantindo a reeleição, como foi o caso de Linderberg Farias, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, que obteve 65,35% dos votos válidos - a mais expressiva vitória do estado - e Jorge Roberto da Silveira, em Niterói, que levou com um total de 60,80% do total de votos.

Tudo o que sabemos sobre:
TREeleições 2008Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.