Tropas desembarcam nas eleições do Rio em até sete dias

Informação é do ministro Nelson Jobim; Justiça pediu Forças para garantir segurança nas eleições 2008

REUTERS

04 de setembro de 2008 | 13h11

As tropas federais convocadas para atuar nas eleições municipais do Rio de Janeiro chegarão à cidade em até uma semana, disse na quinta-feira o ministro da Defesa, Nelson Jobim.   Veja Também:     Candidatos reagem a 'currais' do tráfico e milícias no Rio Conheça os candidatos a prefeito no Rio  Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições    Veja as regras para as eleições municipais A Justiça Eleitoral pediu a presença das forças federais no Rio de Janeiro depois que traficantes de drogas e integrantes de milícias impediram candidatos de fazer campanha. Jornalistas também foram intimidados por criminosos ao acompanhar os políticos. "Em até sete dias nós estamos em campo", afirmou o ministro em entrevista a jornalistas depois de se reunir com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Carlos Ayres Britto. Segundo Jobim, serão mobilizados por dia entre 450 e 900 integrantes do Exército, Marinha e fuzileiros navais. As tropas serão móveis e ocuparão as localidades definidas pela Justiça Eleitoral de forma temporária. Se a estratégia adotada fosse a da "onipresença", argumentou o ministro da Defesa, seriam necessários 30 mil homens, o que seria "inviável". O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) definirá o calendário e as regiões prioritárias a serem ocupadas pelas Forças Armadas. O TRE-RJ já apontou 17 regiões que considera os principais focos de tensão. Já o TSE e o Estado Maior da Defesa definirão nos próximos dias quais serão as "regras de engajamento" dos soldados. Ou seja: quais os limites de atuação da tropa, se ela poderá participar de tiroteios ou realizar prisões. O Exército coordenará o esforço das Forças Armadas. (Reportagem de Fernando Exman)

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICOESRJTROPAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.