TRF mantém Cachoeira solto e libera seu contador

Por unanimidade, a Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) decidiu ontem manter em liberdade o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Na mesma sessão, o tribunal atendeu ao pedido de habeas corpus de Geovani Pereira da Silva, apontado pela Polícia Federal - na Operação Monte Carlo - com contador do esquema de Cachoeira, acusado de comandar a exploração de jogos ilegais em Goiás e outros três Estados.

RUBENS SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO / GOIÂNIA, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2013 | 02h01

A sentença favorável a Cachoeira foi expedida pelo mesmo desembargador Tourinho Neto, que já lhe deu antes outras sentenças favoráveis.

Geovani estava preso há 20 dias em Aparecida de Goiânia. No tempo em que ficou foragido, também foi condenado a 13 anos e quatro meses de prisão. Com a concessão do habeas corpus, ele ficará em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.