TRE registra 277 ocorrências no Ceará

TRE registra 277 ocorrências no Ceará

Foram registradas 216 urnas trocadas, sendo 100 em Fortaleza

Carmen Pompeu, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2016 | 15h51

FORTALEZA - Até as 16h de hoje (2), a Justiça Eleitoral do Ceará registrou 277 ocorrências nas eleições municipais no Estado. Foram trocadas 216 urnas, sendo 116 no interior e 100 em Fortaleza. Anotadas ainda 19 casos de boca de urna, 13 prisões, 11 compra de voto, nove propaganda irregular, quatro transporte irregular de eleitores, três vestuário padronizado, uma briga de fiscais de partidos e uma apreensão de alto-falante.

Campanhas. Primeira mulher eleita prefeita pelo PT, no ano de 1985, Maria Luiza Fontenele faz campanha, neste domingo, 2, pela ruas de Fortaleza pelo "Não Voto". Ela e a ex-vereadora Rosa da Fonseca percorrem as ruas da cidade em um trenzinho estilo "Carreta Furacão" com faixas, bandeiras e panfletos pedindo para que os eleitores boicotem as eleições. As duas batizaram a campanha de "boca antiurna do não voto". Hoje adepta do filósofo alemão Robert Kurtz, que prega o fim da política, Maria Luiza - além de primeira prefeita eleita de Fortaleza no período de redemocratização - foi deputada federal, de 1990 a 1995, pelo PSB. 

Por outro lado, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) acredita que, nestas eleições municipais, os tucanos irão recuperar o espaço político perdido. "O PSDB foi alvo de um verdadeiro ataque de dizimação nesses últimos anos. Mas nas atuais eleições nós temos um processo bem claro de recuperar espaços perdidos, principalmente nos grandes centros", disse.

Para Jereissati, o resultado destas eleições, no entanto, não deverão refletir em 2018." Estamos numa eleição com características bem municipais, que não refletem no Nacional", afirmou.

No Ceará, ele aposta que haverá segundo turno em Fortaleza e Caucaia, as duas únicas cidades do estado com mais 200 mil eleitores. Em Fortaleza, o candidato apoiado por ele, Capitão Wagner (PR), deverá ir para a disputa contra o atual prefeito, Roberto Cláudio (PDT), apoiado pelos irmãos CId e Ciro Gomes. Em Caucaia, o tucano Eduardo Pessoa deverá enfrentar Naumi Amorim (PMB), também apoiado pelos Gomes.

Tasso Jereissati votou, por volta do meio dia deste domingo, na Faculdade Farias Brito, em Fortaleza. No local, foi recebido por um grupo de eleitores com gritos de "Fora, Temer!".

Segundo turno. A terceira rodada do Ibope-TV Verdes Mares, divulgada na noite deste sábado, 01, aponta segundo turno entre o prefeito Roberto Cláudio (PDT), candidato à reeleição; e Capitão Wagner (PR), candidato pela primeira vez para Prefeitura de Fortaleza. Roberto Cláudio lidera com 38% contra 30% de Capitão Wagner, contando apenas os votos válidos da intenção verificada pelo Ibope. Em terceiro lugar aparece a ex-prefeita Luizianne Lins (PT) com 19%.

Em cenários simulados para segundo turno, Roberto Cláudio ganha de Capitão Wagner e de Luizianne Lins. Contra Capitão, Roberto Cláudio mantém a dianteira com 52 a 48%. Em relação a Luizianne, Roberto Cláudio seria reeleito com 58 a 42%. Num terceiro cenário, Capitão ganharia de Luizianne de 52 a 48%.

O Ibope-TV Verdes Mares indicou neste sábado que Heitor Férrer (PSB) chegaria no primeiro turno em quarto com 7%. Depois seguem Ronaldo Martins (PRB) com 4%; João Alfredo (Psol) com 1%; Tin Gomes (PHS) com 1%; e Francisco Gonzaga (PSTU), que não atingiu um 1%.

A rejeição pesquisada pelo Ibope dá Luizianne com 36% empatada com Tin Gomes. Francisco Gonzaga tem 29% de rejeição. Com 24% de rejeição está João Alfredo. Com 21% de rejeição estão Roberto Cláudio e Capitão Wagner. Heitor Férrer aparece com 20% de rejeição. O menos rejeitado é Ronaldo Martins com 20%. Seis por cento estão indecisos e 3% votariam em todos.

O Ibope ouviu 805 eleitores nos dias 28, 29 e 30 de setembro e primeiro de outubro. A margem de erro é de três pontos para cima ou três pontos para baixo. A pesquisa recebeu o protocolo 125/2016 do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.