TRE considera crime comum agressão a cabos eleitorais em Nova Iguaçu

As agressões de traficantes de droga a dois assessores do candidato à Prefeitura de Nova Iguaçu, Nelson Bornier (PMDB), na manhã de domingo, não estão sendo interpretadas como crime eleitoral pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio. Para o presidente da corte, desembargador Luiz Zveiter, as conclusões sobre a motivação do crime são responsabilidade da Polícia Civil.

O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2012 | 03h04

"O candidato fez a sua caminhada sem nenhum problema. Quando saiu é que houve problema com dois cabos eleitorais que ficaram. A polícia está averiguando. Se a polícia concluir que foi algo meramente eleitoral, veremos a providência que iremos tomar", disse Zveiter.

A agressão ocorreu após uma caminhada do candidato numa região de conjuntos habitacionais da cidade. Os traficantes ficaram com os pertences dos cabos eleitorais e pelo celular de um deles cobraram R$ 50 mil para autorizar a realização de eventos de campanha na comunidade. / ALFREDO JUNQUEIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.