TJ-SP pode ir à Justiça contra CNJ

O presidente do TJ-SP, Ivan Sartori, pretende acionar a Justiça para obter, do CNJ, nomes de magistrados envolvidos em suspeitas e sob investigação. "Pedi nomes, e a corregedora (Eliana Calmon) não me deu. Talvez eu vá à Justiça. Quero saber exatamente o que está acontecendo no CNJ em relação a São Paulo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.