'Temos que recuperar votos', diz Marta após pesquisa

Sondagem divulgada nesta quinta mostra o candidato Kassab 17 pontos à frente da petista no segundo turno

ANNE WARTH, Agencia Estado

09 de outubro de 2008 | 16h09

Embora o resultado da pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira, 9,  mostre que o prefeito de São Paulo e candidato do DEM à reeleição, Gilberto Kassab, esteja 17 pontos à frente na disputa do segundo turno, a candidata do PT à Prefeitura,  Marta Suplicy, disse que está animada e vai buscar os votos dos adversários que foram derrotados no último domingo. Ela citou especialmente Gerando Alckmin (PSDB), Soninha Francine (PPS) e Paulo Maluf (PP). "Há quase uma transferência mecânica de votos quando se passa para o segundo turno. Agora, a gente tem que começar a recuperar esses votos", disse ela, após visitar uma feira livre em Parada de Taipas, na zona norte da capital paulista.   Veja Também: GEOGRAFIA DO VOTO: confira o desempenho dos partidos em TODO o País  Confira o resultado eleitoral nas capitais do País As principais promessas dos candidatos Enquete: O resultado das eleições surpreendeu?   Marta cumprimentou eleitores, comeu um pastel de carne e tomou água de coco acompanhada de Netinho de Paula (PC do B), terceiro vereador mais votado nessas eleições. A candidata disse que, no segundo turno, ela e Kassab terão o mesmo tempo de propaganda na televisão, o que deve ajudá-la a conquistar votos. Além disso, citou os três debates dos quais participará e afirmou que seguirá a linha de comparação de trajetórias políticas, gestões e propostas. "São poucos dias de campanha, mas temos armas muito poderosas", declarou.A candidata disse não se importar com o apelido "Dona Marta", que Kassab voltou a utilizar para se referir à ela. "Eu sou a Dona Marta, a Dona Marta do CEU (Centro Educacional Unificado), a Dona Marta do Bilhete Único, a Dona Marta do Renda Mínima, a Dona Marta do PT, eu tenho muito orgulho disso e acho que não tem problema, não", disse.Marta não confirmou a notícia de que o chefe de gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, irá integrar a coordenação de sua campanha nas próximas duas semanas. "Se ele vier, acho que é lucro total, mas ainda não está confirmado. Se ele vier acho muito bom, porque no final de campanha, quanto mais recursos você tiver, mais gente competente ajudando, mais gente querendo utilizar seus dias de férias para batalhar com a gente, eu fico agradecida", ressaltou.Ainda nesta tarde, Marta participa de gravações de campanha para a televisão, segue para a cerimônia do ano novo judaico, e realiza um ato com a presença de ministros em um hotel da região da Avenida Paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSPSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.