Temer tenta unir PMDB e PT no Estado, diz deputado

O presidente do PMDB paulista, deputado estadual Baleia Rossi, admitiu em entrevista à TV Estadão que o partido estará alinhado a candidaturas do PT nas cidades de São Paulo, por "respeito à aliança nacional", embora os dois partidos tenham candidatuas próprias na capital.

O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2012 | 03h07

Baleia afirmou que o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), deu liberdade ao diretório estadual para intervir em comandos municipais que avaliavam estar enfraquecidos. "É uma aliança vitoriosa nacional com o PT e onde pudemos fazer foi feita. (Foi) melhor."

Para o deputado, a executiva estadual respeitou os grupos políticos de cada cidade ao costurar acordos. Ele ressaltou que também teve entendimentos com o PSDB. E cobrou empenho de prefeitos e vereadores peemedebistas em 2014, avaliando que eles não teriam trabalhado pelo partido em eleições passadas, nas quais a sigla teve "desempenho pífio". "Nossa ótica: o PMDB precisa crescer. Não dá mais para ter bancada estadual e federal diminuída."

No Estado, o PMDB registrou 216 candidatos a prefeito e 197 a vice. Baleia vai se dedicar a acompanhar as campanhas no interior, ao lado do presidente da Federação de Indústrias do Estado (Fiesp), Paulo Skaf. Ambos têm planos para 2014: Baleia quer ser eleito deputado federal e Skaf pretende disputar o governo.

O PT também quer conquistar a capital paulista e o Palácio dos Bandeirantes - e tirá-los da órbita tucana. Mas Baleia não vê conflito de interesse entre petistas e peemedebistas./ FELIPE FRAZÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.