José Antonio Teixeira / Alesp; Victor Monteiro / Divulgação
José Antonio Teixeira / Alesp; Victor Monteiro / Divulgação

Taboão da Serra tem segundo turno pela primeira vez na história

Situação inédita, no entanto, não se deve à disputa política, mas a uma decisão do TSE, que suspendeu cancelamento de mais de 50 mil eleitores que não fizeram biometria; sem interferência, cidade não teria superado marca de 200 mil eleitores

Bianca Gomes, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2020 | 15h00

A cidade de Taboão da Serra terá um segundo turno pela primeira vez em sua história no próximo domingo, 29. Até então, a cidade da Região Metropolitana de São Paulo sempre definiu seus prefeitos em uma só votação nas eleições municipais.

A situação inédita no município foi possível graças a uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que suspendeu temporariamente o cancelamento dos títulos de mais de 50 mil eleitores que não fizeram o cadastramento biométrico obrigatório. Sem a interferência da Corte Eleitoral, Taboão não teria superado a marca dos 200 mil eleitores, exigida para a realização de um segundo turno.

A disputa entre os candidatos Engenheiro Daniel (PSDB) e Aprigio (Podemos) ficou marcada como uma das mais apertadas do últimos anos no município. Foi uma diferença de quase 2 mil votos. O tucano teve 33,42% dos votos válidos, contra 32,01% do adversário.

Nas últimas semanas, os dois se dedicaram a conquistar apoio dos candidatos derrotados. Aprigio conseguiu o nome mais cobiçado, do vereador emedebista Eduardo Nóbrega, terceiro colocado na disputa com 22,90% da preferência dos eleitores.

Engenheiro Daniel conta com o apoio do atual prefeito, Fernando Fernandes (PSDB), de quem foi secretário de Manutenção e Serviços durante três anos. A ligação com a atual gestão tem sido explorada de maneira negativa pelo adversário, que se coloca como o nome da “renovação” frente ao candidato da “continuidade”.

Em entrevista ao Estadão, porém, Daniel negou a associação. “Eu tenho o apoio do atual prefeito, o que não significa continuidade de gestão. Nossa proposta de governo aponta para renovação. Os programas existentes de qualidade vão permanecer e iremos melhorar o que for necessário. Faremos uma administração inovadora voltada para o futuro.”

Deputado estadual na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Aprigio foi vereador em Taboão da Serra e disputou outras duas vezes a eleição para prefeito na cidade. Neste ano, o candidato do Podemos construiu uma coligação com PSD, PSC e Patriota e conseguiu arrecadar a maior quantia entre todos os postulantes, cerca de R$ 900 mil.

Para Aprigio, a população deu um recado nas urnas ao levar a disputa para o segundo turno. “O resultado dos candidatos de oposição, como eu e Eduardo Nóbrega, apresenta que a cidade está cansada da atual gestão e do PSDB.”

Na nova configuração da Câmara dos Vereadores, porém, Daniel leva vantagem, já que seu partido elegeu três vereadores. As demais siglas de sua coligação têm, ao todo, cinco representantes no legislativo municipal, contra três de Aprigio.

As principais propostas do candidato do PSDB incluem o aumento de vagas da educação infantil de zero a três anos, construção de mais uma Unidade Básica de Saúde (UBS), além da ampliação do sistema de monitoramento por Câmara na cidade.

O deputado, por outro lado, diz que pretende levar sua experiência na iniciativa privada, no sistema cooperativista, para a gestão pública. "A cidade terá que passar por uma verdadeira reconstrução, na saúde, segurança, na administração pública,com enxugamento de cargos e salários."

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2020Taboão da Serra [SP]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.