Suíça confirma que investiga contas de pessoas ligadas à Petrobrás

Justiça e presidente suíço insistem que considerações políticas não são consideradas na avaliação do caso

Jamil Chade, correspondente, O Estado de S. Paulo

08 de setembro de 2014 | 09h57

GENEBRA - A Justiça suíça confirma que investiga contas relativas a pessoas ligadas à Petrobrás. O anúncio é de Michel Lauber, procurador-geral da Suíça. "A investigação está em andamento", declarou Lauber nesta manhã em Genebra. Ele garante que, neste momento, a colaboração com a Justiça brasileira "caminha bem".

Em maio, a Justiça suíça entregou ao Brasil informações apontando que um colaborador do doleiro Alberto Youssef mantinha uma conta de US$ 5 milhões. O dinheiro foi bloqueado.

Alguns repasses foram realizados por uma subcontratada das obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Outros depósitos partiram de empreiteiras, uma delas sediada em Salvador (BA). Também foi decretado o embargo de outros US$ 23 milhões em 12 contas do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, engenheiro Paulo Roberto Costa. A Suíça abriu processo penal contra o ex-diretor da Petrobrás por lavagem de dinheiro.

Eleição. Já Didier Burkhalter, presidente da Suíça, garantiu nesta segunda-feira que as investigações sobre o caso vão continuar, independentemente das considerações políticas e eleitorais no Brasil que o caso possa ter. "Na Suíça há uma lei e se cumpre", disse durante uma coletiva de imprensa em Genebra.

"Há uma colaboração judicial que está ocorrendo e na Suíça existe uma separação de poderes", indicou. "A lei é aplicada sem levar em conta o contexto e não vamos mudar nossa política", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõespetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.