STJ adia julgamento de habeas corpus pedido pela defesa

Um pedido de vista interrompeu ontem o julgamento do habeas corpus em favor de Carlinhos Cachoeira na 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mas o resultado está praticamente certo. Três dos quatro ministros da Turma já votaram a favor da manutenção da prisão de Cachoeira - Gilson Dipp, Marco Aurélio Bellizze e Jorge Mussi. O ministro Adilson Macabu pediu vista, mas indicou que deve também votar contra a liberdade de Cachoeira. O julgamento deve ser concluído na próxima semana. Até lá, Cachoeira permanecerá preso. O adiamento impede que a defesa recorra ao Supremo Tribunal Federal (STF) na tentativa de reverter a prisão.

O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2012 | 03h07

Para os ministros que negaram o habeas corpus, pesou principalmente a participação de policiais no esquema. A maior parte desses policiais, afirmou o ministro Jorge Mussi, estava na folha de pagamento mantida por Cachoeira. Isso impediria, no entendimento dos ministros, que o Estado investigasse os crimes que são imputados ao contraventor.

O advogado de Cachoeira, o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, disse que aguardará o encerramento do julgamento para decidir o que fará. / FELIPE RECONDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.