Soninha defende ciclovias, mas não detalha proposta

'Ninguém precisa ser atleta para andar de bicicleta. Prova disso sou eu, que sou sedentária e andei 9 km', diz

da Redação,

01 de agosto de 2008 | 00h18

Questionada sobre a proposta de adotar bicicletas como alternativa aos automóveis na cidade de São Paulo, a candidata do PPS, Soninha Francine (PPS), diz que a idéia é integrar as bicicletas com outros meios de transporte. Soninha chegou de bicicleta para o debate da Rede Bandeirantes, nesta quinta-feira, 31.   Veja também: Fórum: Na sua opinião, quem se saiu melhor no debate? Kassab provoca Marta e lança desafio: 'Quem criou mais taxas'? Kassab escolhe Ciro porque foi 'quem sobrou' e provoca risos 'Educação na gestão Alckmin foi pior que a do Piauí', diz Maluf Valente diz a Maluf que dívidas de Pitta ainda estão sendo pagas Marta cita Bolsa-Família e tenta colar imagem a de Lula Maluf sobre saúde: rico não precisa, o povo vai ter atendimento Contra poluição, Maluf quer 'freeway'  Marta elogia Soninha e quer criar ciclovias Soninha quer reduzir desigualdade das regiões Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Especial tira dúvidas do eleitor   Veja as regras para as eleições municipais   "Ninguém precisa ser atleta para andar de bicicleta. Prova disso sou eu, que sou sedentária e andei 9 km até aqui. A idéia é integrar as bicicletas com outros transportes", disse a candidata. No entanto Soninha não respondeu quanto vai custar a construção de ciclovias e o seu alcance.   O candidato Ivan Valente considerou um "erro" a propostas de bicicleta como alternativa em São Paulo e defendeu o transporte sob os trilhos. "Precisamos tirar a idéia do carro do paulistano", disse. Valente lembra que é preciso levar levar em conta topografia acidentada e poluição.   Soninha diz que há vários estudos em andamento, "prevendo ciclovias onde for possível, ciclofaixas no leito e em calçadas, que precisam ser mais largas". Para Soninha, excesso de automóveis é grande responsável pelo congestionamento. "Todo mundo paga por isso. Pedágio urbano é forma de subsidiar o transporte coletivo", propõe.   Para Ivan Valente, o transporte precisa ser subsidiado e defende transporte coletivo de graça, "porque quem mais se beneficia é o comércio a indústria. É preciso educar a população", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008debate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.