Solange Amaral quer maior integração entre esferas na saúde

Candidata do DEM defende interação entre governos municipal, estadual e federal no combate à dengue no Rio

Adriana Chiarini, da Agência Estado,

27 de agosto de 2008 | 11h48

A convidada desta quarta-feira da série de sabatinas do Grupo Estado com os candidatos à Prefeitura do Rio de Janeiro, Solange Amaral (DEM), defendeu uma maior interação entre as esferas municipal, estadual e federal do governo para uma atuação mais eficiente na área da saúde. A sabatina está sendo realizada na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI). O vídeo do debate pode ser visto  na TV Estadão (clique aqui).   Veja também: Especial: Perfil de Solange Amaral  Solange Amaral diz que é possível fazer mais moradias populares Se eleita, meu primeiro ato será procurar Lula, diz Solange 'Não chamei Lula de chefe de quadrilha', ironiza Solange Amaral Solange Amaral defende bilhete único no Rio e alfineta Cabral As regras para as eleições municipais  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro   Ao falar da epidemia de dengue que atingiu a cidade do Rio, ela destacou que a prevenção seria o melhor caminho e criticou o Ministério da Saúde que alocou apenas 31% dos recursos destinados à prevenção. E reconheceu que "todo mundo poderia ir melhor" porque não é um assunto só da cidade. E frisou: "O mosquito é nacional".   A candidata, porém, se negou a avaliar os governos do presidente Lula e do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). Disse apenas que deseja ser prefeita e que irá trabalhar com os dois. Ao ser questionada sobre as divergências do prefeito Cesar Maia (DEM) com o governador e o presidente, Solange afirmou que a maior integração defendida por ela " não é um piquenique de fofuras e sim a defesa dos interesses da cidade".   A deputada também criticou duramente a intervenção federal na saúde do município, em 2005. "Foi uma violência", disse ela, atribuindo o fato a ex-ministros do governo Lula, como José Dirceu e Luiz Gushiken. Ela lembrou que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou ilegal a intervenção no município "por 11 a zero".   Para ela, "a dengue é um problema sério" e que necessita de um trabalho melhor e mais atuante de todos os níveis de governo. E respondeu às críticas que foram feitas durante a recente epidemia que assolou a cidade: "O Rio nem é a cidade do Estado com maior número de casos da dengue."   Outras sabatinas   O evento faz parte da série promovida pelo Grupo Estado com candidatos a prefeito no Rio e em São Paulo, com transmissão ao vivo pela TV Estadão. Marcelo Crivella (PRB), Alessandro Molon (PT),  Eduardo Paes (PMDB) e Fernando Gabeira (PV) já participaram da sabatina. Na quinta e sexta-feira, participarão Chico Alencar (PSOL) e Jandira Feghali (PC do B).   Em São Paulo, de 1º a 5 de setembro, serão sabatinados, no auditório do Grupo Estado, Marta Suplicy (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Gilberto Kassab (DEM), Paulo Maluf (PP) e Soninha Francine (PPS). O evento acaba dia 8, com Ivan Valente (PSOL). O horário é o mesmo do Rio, das 11 às 13 horas. Informações e inscrições no http://www.estadao.com.br/sabatinas/home.htm   (com Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br)

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008Solange AmaralDEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.