Sociedade civil critica aprovação

O diretor executivo da Transparência Brasil, Cláudio Abramo, classificou ontem como "picaretagem" a decisão da Câmara de aprovar um projeto que libera a candidatura de políticos que tiveram as contas de campanhas rejeitadas pela Justiça Eleitoral.

O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2012 | 03h02

"Eles (os deputados) decretaram, em seu próprio benefício, que uma regra não vale. Isso se chama picaretagem", afirmou Abramo, que completou: "Uma coisa dessa estimula os políticos a não cuidarem direito das suas contas".

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), um dos articuladores da Lei da Ficha Limpa, emitiu nota de repúdio contra a decisão. "(Esse projeto) atenta contra tudo o que deseja a sociedade brasileira, que se encontra mobilizada em favor dos valores da ética e da moral." O MCCE espera, de acordo com o nota, que a proposta seja rejeitada no Senado. / ISADORA PERON

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.