Sob críticas do governo federal, Alckmin visita Lula no hospital

Encontro entre o tucano e o ex-presidente, no hospital Sírio-Libanês, foi solicitado por Alckmin, segundo sua assessoria

FERNANDO GALLO, JULIA DUAILIBI , O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2012 | 03h06

Em tratamento para combater um câncer na laringe, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu ontem uma breve visita do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), no Hospital Sírio-Libanês.

O encontro entre o tucano e o petista, que faz radioterapia no hospital, durou menos de 20 minutos e ocorreu num momento em que Alckmin tem sido criticado por setores petistas pelas ações da Polícia Militar, subordinada ao governador, na cracolândia, centro de São Paulo, e no Pinheirinho, em São José dos Campos, interior paulista. Logo após a visita, foram divulgadas fotos dos dois pelo Instituto Lula.

Partiu de Alckmin o pedido para visitar Lula, segundo a assessoria do governador. O cardiologista Roberto Kalil, médico do ex-presidente e também diretor do Instituto do Coração (Incor), ligado ao governo estadual, fez a ponte. Lula definiu, então, o dia e o horário do encontro, que foi confirmado anteontem.

Durante a visita, Lula e Alckmin conversaram sobre medicina e acupuntura, especialidade do governador. Os dois mencionaram a importância de ter força e ânimo no combate à doença.

Depois da conversa, Lula perguntou se Alckmin gostaria de visitar Fernando Lugo, presidente do Paraguai, que faz no local exames para monitoramento de um câncer linfático. Os dois foram até o quarto de Lugo e posaram para fotos, tiradas por Ricardo Stuckert, fotógrafo oficial da Presidência na era Lula e que agora trabalha para o Instituto do ex-presidente.

Relação. Lula e Alckmin nunca mantiveram boa relação. O contato entre os dois piorou depois da eleição de 2006, quando Alckmin disputou a Presidência e foi derrotado por Lula, que buscava a reeleição. Na época, os petistas argumentavam que o clima entre os dois azedara porque Alckmin teria sido desrespeitoso com o adversário em um debate na televisão.

Após a eleição de 2010, o governador buscou uma aproximação com o governo federal por meio da presidente Dilma Rousseff, que esteve três vez no Palácio dos Bandeirantes a convite de Alckmin. Lula também foi convidado para os eventos de que Dilma participou, mas não foi.

Desde que o ex-presidente começou o tratamento para combater o câncer, no fim de outubro, recebeu a visita de uma série de políticos no hospital. Há quase um mês o prefeito Gilberto Kassab (PSD) esteve por lá para propor uma aliança entre o PT e o seu partido na eleição para a Prefeitura de São Paulo neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.