Estadão
Estadão

Skaf cai e Alckmin seria reeleito no 1º turno, aponta Ibope

Levantamento realizado pelo Ibope mostra que tucano oscilou na margem de erro e ainda venceria o pleito

Mateus Coutinho, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2014 | 19h10


Pesquisa Ibope divulgada na noite desta terça-feira, 9, pelo jornal SPTV 2ª edição, da TV Globo, apontou queda nas intenções de voto do segundo colocado na disputa ao governo do Estado, Paulo Skaf (PMDB), que chegou a 18% das intenções de voto, ante 23% registrada no mês anterior.O levantamento indicou ainda que, caso a eleição fosse nesta terça, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) seria reeleito no primeiro turno com 48% das intenções de voto. 

Ele oscilou dentro da margem de erro em relação à pesquisa de agosto, quando aparecia com 47% das intenções de voto. Em terceiro lugar nas pesquisas, o candidato do PT, Alexandre Padilha oscilou um ponto percentual e chegou a 8% das intenções de voto. Em agosto ele tinha 7%. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Os candidatos Gilberto Natalini (PV), Laércio Benko (PHS) e Raimundo Sena (PCO) alcançaram 1% das intenções de voto cada. Os demais candidatos não chegaram a pontuar. A porcentagem dos que não sabem ou não responderam chegou a 11%, o mesmo percentual atingido pelos que declararam voto em branco ou nulo.

Como o governador atingiu um patamar maior que a soma de seus adversários (29%) ele seria reeleito já no primeiro turno. O levantamento foi realizado entre os dias 4 e 9 de setembro. Foram ouvidas 2002 pessoas de 97 municípios. 

Rejeição. A pesquisa também mostrou que Alexandre Padilha continua com o maior índice de rejeição entre os candidatos. 26% dos entrevistados declararam que não votariam nele. Na sequência aparecem Alckmin (18%), Skaf (16%), Gilberto Maringoni, do PSOL (8%), Sena (8%), Benko (8%), Walter Ciglioni, do PRTB (7%), Natalini (7%) e Wagner Farias, do PCB (7%).

Avaliação. O Ibope indicou ainda que a aprovação da gestão Alckmin oscilou dentro da margem de erro. Na pesquisa divulgada nesta terça, 42% dos entrevistados avaliaram o governo do tucano como ótimo ou bom, mesmo índice de agosto. Já os que avaliam a gestão como ruim ou péssima chegaram a 18%, ante 20% do mês anterior. 35% dos entrevistados consideraram o governo como regular.



Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesGeraldo AlckminPaulo Skaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.