Skaf anuncia força-tarefa para buscar voto de indecisos

Skaf anuncia força-tarefa para buscar voto de indecisos

Na reta final da campanha, candidato do PMDB ao governo de São Paulo vai apostar no corpo-a-corpo para tentar levar a disputa para o segundo turno

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2014 | 15h08


São Paulo - Candidato do PMDB a governador, Paulo Skaf anunciou nesta segunda-feira, 29, em São Paulo, uma força-tarefa de políticos e militantes do partido em busca dos votos dos indecisos nos últimos dias de campanha. "Muitos eleitores vão tomar a decisão do voto nesta última semana, então estamos fazendo uma força-tarefa em relação a esses indecisos." Além da intensificação da campanha no rádio e na TV, o candidato faz corpo-a-corpo na capital e volta ao interior em busca de apoio.

Nesta terça, o peemedebista vai à Rua 25 de Março, maior centro de comércio popular no Estado, podendo estender a jornada à Rua Santa Ifigênia, na região central de São Paulo. Nos dois dias seguintes, Skaf visita cidades das regiões de São José do Rio Preto e Ribeirão Preto. Na última pesquisa Datafolha, os indecisos somavam apenas 7% dos eleitores. Alexandre Padilha, do PT, tinha 9% e o peemedebista, 22%, enquanto o governador Geraldo Alckmin, do PSDB, chegava aos 51% - suficientes para vencer no primeiro turno.

Skaf voltou a dizer que os números de pesquisas internas mostram outra realidade e está convicto de que pode chegar ao segundo turno. Ele não quis responder a uma pergunta sobre um possível efeito Haddad em relação à campanha petista. Em 2012, o candidato do PT Fernando Haddad saiu de um terceiro lugar para o segundo turno e acabou vencendo a eleição. "Esta é uma semana programática", disse, sobre a estratégia. "Vou continuar a campanha de forma criativa, conversando com o povo sobre nossas propostas para dar mais saúde, mais educação e mais segurança à população." 

O candidato do PMDB visitou uma unidade do Ambulatório Médico de Especialidades (AME), programa do governo estadual, na região central da cidade, próximo do Anhangabaú. Ele disse ter achado o atendimento bom, embora pacientes o tenham abordado para reclamar da demora e da falta de solução para seus problemas. "Vamos esticar o horário noturno das 7 à meia-noite para atender a demanda que é muito grande." Prometeu ainda construir 52 AMEs no Estado, o dobro do número atual, com investimento de R$ 416 milhões em quatro anos. "Campinas, Guarulhos, Osasco e Ribeirão Preto, cidades importantes, não têm AME." 

Ele aproveitou para criticar o atual governador que, segundo Skaf, não construiu nenhum AME na capital nos últimos quatro anos. "Existe muita promessa e pouco resultado. Vamos construir mais quatro na capital, 15 na Grande São Paulo e o restante dos 52 no interior." Ela também propôs a construção de AMEs móveis. Skaf esteve ainda na Associação de Delegados de Polícia do Estado de São Paulo em reunião com os delegados. "Minha proposta é acabar com a burocracia na Polícia Civil para que ela possa investigar mais. Vamos investir em tecnologia."

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçãoPaulo SkafPMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.