Siglas podem brigar em até 15 Estados

Nas disputas estaduais para governador em 2014, o PT poderá enfrentar mais o PMDB, seu principal parceiro no plano federal, do que o PSDB, o principal partido de oposição a Dilma Rousseff. A um ano da eleição, o cenário mostra que petistas e peemedebistas podem se enfrentar em até 15 Estados. Os confrontos entre petistas e tucanos ocorreriam em até 12 Estados. Nos dois casos, leva-se em conta a presença dos partidos apenas na cabeça de chapa. Por esse mesmo critério, é provável que PT e PMDB se enfrentem em cinco dos oito maiores colégios eleitorais do País: em São Paulo, Rio, Bahia, Rio Grande do Sul e Ceará. No Paraná, os peemedebistas ameaçam concorrer com o senador Roberto Requião. Em Minas, onde o PT vai lançar o ministro Fernando Pimentel, o senador Clésio Andrade (PMDB) tenta sair candidato, mas está isolado e a tendência é que a sigla fique com a vice do petista. Os dois partidos não devem se enfrentar em Pernambuco, onde o PMDB quer apoiar o candidato de Eduardo Campos (PSB).

Fernando Gallo, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2013 | 02h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.