Serra vai apostar em imagem de 'inovador'

"Inovação é o nome da nossa gestão", definiu o ex-governador José Serra (PSDB) em uma conversa com líderes comunitários da Lapa, zona oeste de São Paulo, na última quinta-feira. Na disputa pela Prefeitura, o tucano vai se apresentar como um administrador moderno para fazer frente às críticas dos adversários que tentam lhe impor uma imagem de político antigo.

BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

24 de abril de 2012 | 08h33

Aliados apontam o caminho: querem que Serra enfatize um discurso pautado por propostas de gestão eficiente, redução da burocracia e informatização de serviços públicos. Sua equipe teme que o pré-candidato, mergulhado na vida pública há quase 50 anos e conhecido por 99% da população, pareça um político sem novas ideias ao lado dos "iniciantes" Fernando Haddad (PT) e Gabriel Chalita (PMDB).

A marca de inovador será um dos motes da fala de Serra na propaganda do PSDB paulista na TV, que vai ao ar a partir de sexta-feira. O tucano gravou sua participação no domingo.

O antídoto também começou a ser aplicado nas conversas do candidato com os moradores da cidade. Ao defender seu legado à frente da Prefeitura e do governo do Estado, Serra tem destacado projetos que ele considera ousados - como a expansão da Marginal do Tietê - e marcas criadas por ele - como a Virada Cultural.

"Modéstia à parte, se vocês olharem o que a gente fez aqui na capital, a quantidade de inovação é imensa - e nós vamos continuar nessa direção", disse aos eleitores da Lapa.

A estratégia é uma reação do PSDB a provocações feitas pela cúpula petista desde a entrada de Serra na disputa. No mês passado, aliados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva relataram que ele chamou o tucano de "um político de ontem com ideias de anteontem".

Aos 70 anos, Serra vai ser o candidato mais velho entre os principais postulantes à Prefeitura. Mas, para os tucanos, isso não será um problema. "Os outros candidatos podem ser jovens, mas são mais velhos em suas práticas e propostas", diz Walter Feldman, que trabalha na campanha do ex-governador e o chama de "político da modernidade".

Processo

No fim de março, Serra entrou com uma ação judicial contra o jornalista Amaury Ribeiro Jr. e a Geração Editorial, responsáveis pela publicação do livro A Privataria Tucana, que aponta supostos casos de desvios de recursos durante a presidência de Fernando Henrique Cardoso. Serra, que foi ministro do Planejamento naquele período, se diz vítima de falsas acusações. O advogado do tucano, Ricardo Penteado, pede para seu cliente uma indenização por dano moral calculada a partir do volume de vendas do livro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012SPSerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.