Serra propõe sintonia fina com Estado

Candidato tucano diz que pretende usar parcerias para construir quatro hospitais, ampliar malha viária e repovoar região central da cidade

DÉBORA ÁLVARES , O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2012 | 03h08

Os planos do tucano José Serra para São Paulo estão focados na continuidade do que a gestão de Gilberto Kassab (PSD) vai deixar para a cidade, além de apresentar novas ideias que classifica como inovadoras. O que pretende colocar em prática caso seja eleito está descrito nas 69 páginas do programa de governo, apresentado em 15 de outubro.

Ao longo da campanha, o candidato do PSDB, que já foi prefeito, governador e ministro, criticou o adversário Fernando Haddad por apresentar propostas que chamou de publicitárias. Segundo destacou, ele não tem um carro-chefe entre suas propostas.

O programa de governo foi apresentado 13 dias antes do 2.º turno das eleições e elaborado com o auxílio de integrantes do alto escalão da Prefeitura. A coordenação ficou por conta do conselheiro estadual de Educação, ex-secretário adjunto de Estado da Educação, Hubert Alquéres. Serra afirma que o programa é um detalhamento do plano registrado na Justiça Eleitoral. Para a equipe do tucano, as propostas são articuladas e têm uma base orçamentária.

No início do plano de governo, o candidato tucano reforça que, caso seja eleito, não deixará a Prefeitura. "Vou trabalhar com todo o entusiasmo ao longo dos quatro anos de mandato."

As parcerias que, se eleito, pretende estabelecer com o governo do Estado, são citadas diversas vezes no programa. Algumas das propostas, no entanto, são reedições do que Kassab planejou, como a construção de hospitais - o atual prefeito prometeu entregar três, não fez nenhum, e Serra se compromete com quatro - ou o repovoamento da região central da cidade.

HABITAÇÃO

Serra quer ampliar o Programa Mananciais investindo na urbanização dos assentamentos precários das bacias Guarapiranga e Billings, beneficiando 65 mil famílias da região.

A reocupação do centro, com a ocupação de 53 prédios vazios, também está nos planos do tucano. Para acelerar a produção de novas moradias populares, ele pretende realizar parcerias público-privadas.

TRANSPORTE

O programa do tucano prevê o investimento na expansão de metrô, citando novas estações nas linhas 4 Amarela (Luz-Vila Sônia), 5 Lilás (Capão Redondo-Chácara Klabin), 17 Ouro (Jabaquara-Morumbi) e 15 Prata (Vila Prudente-Cidade Tiradentes), as duas últimas em forma de monotrilho.

Ele também quer expandir a rede de corredores de ônibus, especialmente nas vias Radial Leste, Luís Carlos Berrini, Aricanduva, Itaquera, Binário Santo Amaro e Capão Redondo.

Serra promete dobrar o número de cruzamentos com semáforos inteligentes, modernizando a operação e o controle integrado pela cidade.

Também está prevista a aplicação do Plano Viário Sul, com a construção de mais de 40 quilômetros de vias ampliadas ou duplicadas, novas avenidas e interligações viárias.

SAÚDE

Construção de quatro hospitais (Cidade Dutra, Carrão, Lapa, Freguesia do Ó) e aumento da oferta de leitos e atendimento médico-hospitalar em parceria com o governo estadual estão entre as propostas de José Serra para a saúde.

Ele também quer transformar 30 AMAs em AMAs 24h, criar mais 20 AMAs Especialidades, e 7 Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs).

EDUCAÇÃO

Serra pretende construir creches nas estações de metrô e da CPTM, ampliando o número de vagas, também por meio de convênios com entidades sociais.

Há planos de levar o ensino técnico à noite a todos os 46 CEUs da cidade em parceria com o Centro Paula Souza.

O tucano promete universalizar o atendimento à pré-escola, com turnos de seis horas nas escolas municipais de educação infantil, além de ampliar o ensino integral para alunos do Ensino Fundamental.

SEGURANÇA

O número de PMs na Operação Delegada será dobrado.

O efetivo da Guarda Civil Metropolitana terá um aumento de 10% e a frota será modernizada.

Serra planeja dobrar o número de câmeras de segurança e instalar um sistema automático de alerta de ocorrências.

CULTURA

Serra promete transformar o Vale do Anhangabaú na grande praça da cidade, a partir da revitalização da região do entorno, e a criação da Praça das Artes.

Ele quer construir a Escola de Circo Piolim, restaurar o edifício Sampaio Moreira, o Cine Ipiranga e os antigos palácios de cinema da Cinelândia, além de transformar o Art Palácio e o Marrocos em teatros.

A ideia é criar três museus (Automóvel, Canção Brasileira, e Moda e Vestuário).

Ele pretende, também, instalar a Fábrica do Samba.

DESENVOLVIMENTO

URBANO

Ele quer requalificar a Nova Luz e revitalizar o Parque Dom Pedro II, dando espaço a

unidades do Sesc e do Senac.

Serra planeja demolir o Viaduto Diário Popular e concluir o Museu da História de São Paulo.

MEIO AMBIENTE

A ideia é criar 30 parques (tradicionais e lineares ao longo de córregos e naturais) em todas as regiões da cidade

Ampliar a coleta seletiva e criar centrais de triagem, multiplicando os postos de entrega voluntária e reciclando 10% do lixo recolhido na cidade.

GESTÃO, ORÇAMENTO

E FINANÇAS

A ideia é ampliar o Serviço de Atendimento ao Cidadão, o portal 156SP, na internet, além de distribuir totens pela cidade e o desenvolvimento de aplicativos para telefones celulares.

Quer aumentar para 600 o número de telecentros.

ESPORTE E LAZER

O programa propõe a criação de 150 polos do Programa Clube Escola, assim como a expansão das ciclofaixas de lazer, criando rotas que liguem os

parques e as áreas de lazer.

DESENVOLVIMENTO SOCIAL Fortalecer a Rede de Proteção Social, expandindo a atuação dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAs) e de Referência Especial de Assistência Social (Creas).

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.