Serra insiste que PT 'mente' e cita mensalão

Tucano diz que paciente da rede de saúde pode ter catarata, mas reitera que campanha de Haddad 'mentiu' ao falar de fila

O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2012 | 10h08

O candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, voltou ontem a relacionar o adversário petista, Fernando Haddad, a réus do escândalo do mensalão. O tucano afirmou pela primeira vez que o caminhoneiro José Machado "provavelmente tem catarata também", mas sustentou que o PT "mentiu" ao apresentá-lo na propaganda eleitoral.

Serra negou que tenha adotado uma estratégia de ataques a Haddad e ao PT, apesar de ter criticado nos últimos dias o partido e a presidente Dilma Rousseff, que entrou na campanha petista nesta semana. Depois de exibir peças publicitárias com fotos do candidato do PT ao lado de réus do mensalão, o tucano destacou ontem que os acusados "são do partido do Haddad".

"O José Dirceu, o Delúbio Soares e o João Paulo (Cunha) são do partido do Haddad e estão apoiando ele. Se eles têm problemas com a Justiça, o problema é deles, não é nosso. Eles são companheiros de partido e de jornada. Isso não é agressão", disse.

O tucano afirmou que não houve endurecimento de sua campanha e que há "excesso de suscetibilidade" por parte de Haddad, que chamou a propaganda tucana de "lastimável". "É uma coisa um pouco 'fazendo gênero'."

O candidato do PSDB disse que não fez duras críticas a Dilma. Na véspera, Serra havia dito que a presidente "mal conhece São Paulo" e que "vem meter o bico" na eleição paulistana. "Eu disse que ela tem todo direito de ter candidatos aqui. Outra coisa é vir aqui querer monitorar o voto."

Catarata. Serra disse que o caminhoneiro que apareceu no programa do PT criticando o sistema público de saúde "provavelmente tem catarata também", depois que o Estado revelou que um laudo do Instituto Cema, conveniado à Prefeitura, confirmou o diagnóstico. O documento divulgado pelo PT com autorização de Machado contrariou informação dada pelo Município quando a propaganda foi ao ar.

Em entrevista à TV Estadão em 31 de agosto, Serra havia dito que Machado não tinha catarata. Ontem, o tucano sustentou que a questão é a "mentira" que o PT levou ao ar, ao dizer que Machado espera há dois anos por uma cirurgia de catarata.

"A grande mentira foi dizer que ele estava há dois anos esperando uma cirurgia de catarata. Segundo: ele tem outro problema na vista. Provavelmente tem catarata também, mas o problema era o outro, que estava segurando", disse, em referência ao pterígio, doença que provoca o crescimento da pele sobre a pálpebra. "O laudo prova que ele estava há dois anos na fila? Não."

O caso gerou polêmica após informações do prontuário médico de Machado terem sido divulgadas pela Prefeitura para desmentir a propaganda eleitoral. No fim da noite de ontem, a Secretaria de Saúde disse em nota que "o principal problema oftalmológico que afeta o paciente não é a catarata" e criticou o PT ao dizer que "não é verdade que o paciente ficou dois anos em fila de espera por cirurgia, fosse qual fosse". / B.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.