Serra inicia ataque a Russomanno em programa de rádio

Campanha do tucano faz trocadilho com nome de adversário e diz que candidato do PRB 'não explica nada, fica só na enrolação'

ISADORA PERON, BRUNO BOGHOSSIAN, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2012 | 03h02

A campanha de José Serra (PSDB) fez os primeiros ataques na propaganda eleitoral de rádio e TV a Celso Russomanno (PRB), que lidera as pesquisas de intenção voto na capital paulista. Em uma peça veiculada no rádio desde ontem, um jingle acusa o candidato do PRB de não ter propostas e faz um trocadilho com seu nome: "Tá russo, mano".

"Não diz nada de concreto, quer ganhar na falação. Faz promessa, cumprimenta, beija, abraça, aperta a mão. Mas não explica nada, fica só na enrolação", diz a letra da música composta em ritmo de polca, estilo popular em países do Leste Europeu.

'Sem lógica'. Nas últimas semanas, a equipe da campanha tucana adotou como estratégia a tentativa de desqualificar as propostas do candidato do PRB. O próprio Serra já disse que os projetos apresentados por seu adversário "não têm lógica" e são "irrealistas".

A campanha tucana já faz nas ruas um trabalho intenso de críticas a Russomanno, com o objetivo de convencer eleitores a desistirem do voto no candidato do PRB. A equipe de Serra contratou centenas de visitadores que passam de casa em casa para questionar a capacidade administrativa de Russomanno, conforme revelou o Estado na edição do dia 26 de agosto.

A crítica na propaganda eleitoral, no entanto, deve ser pontual. Segundo integrantes da equipe de Serra, os ataques não devem se repetir nos programas de TV.

Os tucanos dizem considerar Fernando Haddad (PT) o principal adversário na disputa, apesar de Russomanno ter aberto até 14 pontos de vantagem em relação a Serra segundo as últimas pesquisas de intenção de voto. O candidato do PRB classificou os ataques da campanha do tucano como "um tiro no pé". "Eu não sei se isso está tendo resultado", comentou.

Tecnicamente empatado com Serra em segundo lugar, Haddad foi alvo de outro pacote de propagandas de rádio do PSDB. Uma das peças liga o nome do petista à organização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que enfrentou falhas por três anos seguidos quando Haddad foi ministro da Educação. O jingle de Serra faz um trocadilho com o nome do adversário: "Ah! Dá de ele fazer com a cidade o que fez com o Enem". Outro spot critica, ao mesmo tempo, duas propostas consideradas marcas da campanha do petista: a criação da Rede Hora Certa no sistema de saúde e a implantação do Bilhete Único Mensal.

Evangélicos. Serra deve confirmar também, nas próximas semanas, o apoio da Igreja do Evangelho Quadrangular e receber a adesão de líderes da Igreja O Brasil Para Cristo. O apoio da Quadrangular está "praticamente garantido", segundo pastores. Serra se reuniu no fim de agosto com o conselho diretor e deve participar este mês de um culto celebrado por Rocco Digilio Filho, presidente da instituição. A Quadrangular tem 58 mil fiéis na capital, segundo o Censo de 2010. São 350 templos e cerca de mil pastores.

O apoio da igreja a Serra foi articulado pelo pastor José Pagliarini, candidato a vereador pelo PSDB. Ele diz que Celso Russomanno (PRB) também procurou a Quadrangular, mas não foi recebido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.